Menu   

Opinião

João Fraga
Serviço Nacional de Saúde: o “arco-íris” do recibo verde

Não obstante esta prática já remonte ao anterior Governo, o actual, logo a partir de 2011, instituiu, no Serviço Nacional de Saúde (SNS), uma prática de externalização dos serviços públicos de saúde, mediante opção pelo modelo de contratação de “prestação de serviço” “à hora”. Que, como outras medidas chamadas de “extraordinárias”, tende a tornar-se regra, ordinária, mau grado o argumento de ser “excepcional”.

João Fraga
Lições de “recuperação” da economia

Não ouvimos outra coisa que governantes e doutos “especialistas” empolgando, professoralmente, os “sinais” de “sucesso”, de “milagre”, de “recuperação da economia”. Estes “professores” da “economia” que, nestes “tempos da finança”, se ensina nas “escolas de negócios” situadas nos top ten (ou, pelo menos, nos top twenty) dos rankings do Finantial Times, de certeza que nunca leram O Livro dos Conselhos, do rei D. Duarte.

Colaboradores, última actividade

No Outono de 1941, falou-se muito da quebra de assistência nos jogos de futebol e do «falso amadorismo». Não houve a Volta ao Luso e, que eu tenha observado, também falhou a Volta dos Campeões, na Figueira da Foz. No dia 10 de Outubro, o Secretariado da Propaganda Nacional sugeriu à CP que pintasse o […]

25 de Agosto, 2019

Aqui em Viseu, como mero e referencial exemplo, faz-se história quotidianamente. Basta lembrar ao fulano da kultura e, de imediato, chamado um dos “estoriadores” de serviço, se torna a Feira Franca na mais antiga de Portugal (o que é falso), se descobrem mais uns vestígios da Idade da Pedra (logo tapados), mais uma aventura bizarra […]

25 de Agosto, 2019

…é como quem não vê. É por isso que hordas de gente com pouca literacia em assuntos prementes como o Ambiente não podem entender a importância de boicotar a utilização de palhinhas. A noção de ecossistema é complexa e implica uma visão global de conceitos como interacção, fluxos de energia, auto-regulação, diversidade, equilíbrio. Tentar explicar […]

25 de Agosto, 2019

O G7 sem a  China e profundamente dividido nada de relevante vai dar e não se compreende no novo cenário mundial.  A atenção que dará aos incêndios da Amazónia será (infelizmente) uma forma de enevoar a sua irrelevância.  Manuel João Dias

25 de Agosto, 2019