Imaginem este filme nas contas da CMV…

por Paulo Neto | 2015.06.26 - 12:11

 

 

Vamos imaginar este cenário:

Para 2015, a CMV reportaria previsões de 130 milhões de disponibilidades; destes, 85 milhões seriam estimativas aproximadas e reais e o resto possíveis receitas decorrentes de IMI, derrama e etc.;

Existiriam cerca de 89 milhões de passivo, com requalificações urbanas a decorrer (Sé, Abraveses e Complexo do Fontelo), que embora financiadas por fundos comunitários, iriam aumentar a óptica da despesa;

A assim eventualmente ser, as receitas reais já não cobririam o passivo. Não havendo sinais visíveis de swaps, para já;

E imaginemos ainda estes sinais:

Desesperados, estariam a encher a cidade de parquímetros onde antes não os havia?

Poderia o Tribunal de Contas ter averbado 5 falhas de gestão ao anterior autarca?

Como por exemplo o túnel da circunvalação para a A25 em Abraveses? Com uma eventual derrapagem de perto de 180% em relação ao valor inicial previsto?

Seria possível que ao actual autarca tivessem sido apontadas 2 falhas de gestão numa auditoria realizada?

Uma por ter avançado com a requalificação do Fontelo sem existir um estudo que corroborasse que o investimento iria ter retorno?

Outra por um suposto falhanço de oficio na candidatura a verbas europeias? A  CMV não sendo pródiga a cumprir prazos de entrega de projectos?

Por outro lado, na parte da receita, a câmara poderia estar a incentivar a requalificação de imóveis devolutos ou venda dos proprietários, muito provavelmente para poder ir buscar €€€ no IMI?

Seria alguma vez possível a CMV ter 7 milhões de euros enterrados no BPP? E ter recuperado 6?

Constar-se-ia que a despesa corrente do município de Viseu seria de 220 milhões\ano. E que teria sido reduzida em 6% por Almeida Henriques…?

Claro que tudo isto é ficção científica e enredo para um script de Júlio Verne, do tipo “20.000 léguas submarinas”, filmado por Vasconcelos… no doubt at all!

Quanto à oposição, nesta ficção científica, estaria calada por acharem ser o filme mudo? Ou porque teriam aprendido a fazer oposição na Somália?

Ou ainda, sabendo do guião, só revelariam ao eleitorado a mentira em que depositaram a esperança?