António Costa em Mangualde

por Paulo Neto | 2014.06.30 - 10:45

 

Por uma qualquer simbologia ou empatia, António Costa, o candidato à liderança do Partido Socialista, vindo ao distrito de Viseu, escolheu Mangualde para falar com os seus apoiantes.

O auditório do complexo paroquial encheu-se no fim da tarde de domingo, 29.

Marco Almeida, o presidente da concelhia local abriu a sessão. Seguiu-se o deputado – e colaborador do Rua Direita – Acácio Pinto. João Azevedo, presidente da autarquia de Mangualde e presidente da federação de Viseu foi seguido de Marcos Perestrelo, presidente da FAU Lisboa. O candidato falou por fim evidenciando as linhas programáticas para o próximo decénio.

Muitos rostos conhecidos. Entre eles, José Junqueiro que julgávamos apoiante de Seguro. Só faltaram Miguel Ginestal, Lúcia Silva e António Borges, ex-autarca de Resende. Teriam outros compromissos agendados…

Muito entusiasmo e a sensação de que a maioria do distrito de Viseu apoia Costa. Todos os nomes socialistas com peso, os históricos e a juventude, vieram dizer “Presente!”

Se dúvidas houvesse na mente de alguns críticos sobre a posição de João Azevedo, o presidente da federação de Viseu, dissipou-as. Recordamos que a delegação portuguesa do Comité das Regiões, na Europa, é constituído por António Costa, enquanto presidente da câmara de Lisboa, Basílio Horta, presidente da câmara de Sintra e João Azevedo.

Primeiro Acto cumprido. Intervalo. Dentro de momentos segue a peça.

Não, não falo de “Macbeth”, de Shakespeare (V.v. 17-28)…

 

Life’s but a walking shadow; a poor player,

That struts and frets his hour upon the stage,

And then is heard no more: it is a tale

Told by an idiot, full of sound and fury,

Signifying nothing.