Quanto mais depressa morrerem, mais se poupa…

por Paulo Neto | 2014.07.01 - 10:39

 

Este governo gosta dos ricos. Gosta de banqueiros. Gosta dos mercados. Gosta da troika. Gosta de mais uns gajos, mas não os vamos enumerar todos…

Este governo não gosta dos pobres, dos idosos, das crianças, da classe baixa e média de Portugal, dos funcionários públicos, dos aposentados, dos jovens.

Talvez por isso e pela sua consequente política, os ricos, em Portugal, estão cada vez mais ricos e o número dos pobres não deixa de aumentar diariamente.

Talvez por isso e pelas condições de precariedade criadas, o país envelheça cada dia que passa perante um recuo demográfico galopante.

Talvez por isso os aposentados vejam suas legítimas reformas cortadas todos os meses.

Talvez por isso os jovens, esperança e futuro de Portugal, se ausentem como no êxodo, para outro países, como acontecia com os outros emigrantes da década de 60, num Portugal salazarista.

Talvez por isso o governo, este ano, tenha cortado o Complemento Solidário para Idosos a 38.149 cidadãos com idade superior a 66 anos, com baixos recursos. Desde que a troika chegou, 46 mil idosos perderam-no. Recordamos que a troika é composta pelo Banco Central Europeu, Fundo Monetário Internacional e Comissão Europeia. As principais vítimas são idosas do sexo feminino. As mulheres, no universo dos que recebiam o CSI, eram 129.837 e os homens 58.912. A seguir ao Porto, Lisboa, Braga e Setúbal vem Viseu, num honroso 5º lugar…

Talvez por isso, também entre Maio de 2013 e de 2014 menos 38 mil pessoas receberam o Abono de Família.

Talvez por isso, a Segurança Social esteja orgulhosa. O tipo da lambreta deve andar feliz. Só com os “velhos” poupou mais de 9 milhões de euros. 12 milhões de euros foram poupados no 1º trimestre com o Abono de Família e no total de prestações sociais poupou 113 milhões de euros. Já merece uma Kawasaki…

Talvez por isso…

Qualquer dia não haja crianças porque não nascem. Não haja jovens porque emigram à procura de uma vida melhor. Não haja velhos porque este governo ajuda a “exterminá-los”. Fica assim uma faixa etária entre os 25 e os 60 anos a envelhecer paulatinamente. Os velhos de amanhã que amanhã serão, por sua vez “exterminados”.

Talvez por isso e assim, o ciclo se cumpra…