Taxistas e supermercados

Pelo que vou ouvindo e lendo, os grandes hipermercados não têm mãos a medir para dar vazão às encomendas online dos clientes.

Texto Carlos Cunha Fotografia Direitos Reservados (DR)

Tópico(s) Artigo

  • 21:50 | Quarta-feira, 08 de Abril de 2020
  • Ler em < 1 minuto

Eu não tenho particular admiração por alguns taxistas, pela falta de educação, pouca seriedade na forma como tratam os clientes e pelo facto de no trânsito considerarem que são sempre veículos prioritários aos quais os restantes condutores têm de ceder passagem.

Nestes dias que passam como não há gente para transportar, os taxistas aguardam longas horas na praça à espera que alguém precise de um frete. Precisam de ganhar, porque as despesas mensais estão certas.

Pelo que vou ouvindo e lendo, os grandes hipermercados não têm mãos a medir para dar vazão às encomendas online dos clientes.

Seria bom que houvesse um acordo entre os grandes hipermercados e os taxistas para que estes fizessem as entregas das compras em casa dos clientes, durante estes tempos de pandemia.

Todos ganhavam: os hipermercados porque atendiam mais rapidamente os pedidos dos seus clientes, que ficavam satisfeitos por receberem de forma mais célere os produtos encomendados e os taxistas viam aligeirar-se estes dias tão sombrios.

Gosto do artigo
Palavras-chave
Publicado por
Publicado em Opinião