Preguiçoso será Vosselência!

por Paulo Neto | 2014.10.26 - 00:01

 

 

Não sei que maleita bizarra me alcança quando ouço falar o Iº Magistrado da Nação. Uma agonia me toma e um torpor m’entropece… Aquela dinâmica angustiada e implosiva até ao próprio deve causar arrepios e mal-estar estomacal. Ainda hoje, ouvir falar seus antecessores, como por exemplo Ramalho Eanes, pelo contraste discursivo, evidencia-nos um oceano de diferença.

 

Passos Coelho reitera — boca cheia e peito ancho — a confiança na banca portuguesa. E porém, no ecrã, em rodapé corriam as notícias: “BCP pode reprovar no teste de stress do Banco Central Europeu”, e logo a seguir outra: ” Banco… x… com prejuízo de milhões de euros no 3º trimestre…”, etc.

Entretanto, Paula da Cruz, nas jornadas parlamentares, desafia, ironiza, ameaça, desvaloriza e auto-glorifica-se ao estilo donzela d’Orleães a subir para a fogueira.

Machete… deve querer competir com o Marques Mendes no seu duplo papel de comentador da SIC e inside governamental. Escapam-se-lhe umas “bocas” mas, contas feitas, é normal (e deve acontecer quando chegamos a certa idade). Incontinência… verbal.

O presidente da Comissão para a Reforma do IRS, Rui Morais diz “temer uma salganhada”. Paulo Núncio, o seu autor, no dizer de muitos, fez “uma grande trapalhada”.

Crato ainda não resolveu o problema da colocação dos professores. As aulas também só começaram aproximadamente há dois meses. Não é grave. Têm aulas nas férias, penalizando duplamente os alunos e os professores que vão pagar pelas asneiras da tutela-tonta.

Entretanto, Portugal, com a dívida a crescer, entra em deflação. É normal. Pequenas minudências. A Europa avisa. Mas quem liga à velha e decadente Europa?

Passos Coelho encerra as tais jornadas parlamentares num histerismo vitimado “achando patético” que ninguém veja o seu milagre e acusando os “jornalistas e comentadores” de serem “uns preguiçosos”… Ouviram, seus “preguiçosos”? E se ficam calados… merecem o epíteto! Entretanto já se esqueceram daquele caso da CPPC e da Tecnoforma?

Andamos afinal enganados — na realidade “tesos como carapaus” — mas na boca dos vendilhões do templo, saiu-nos — a todos — o Euromilhões!

O governo, a esboroar-se como triga-milha recessa, com a proximidade das eleições no horizonte, ciente das malfeitorias feitas, com novo líder da oposição pela frente… inverte o ciclo discursivo e entra na denegação.

Da defesa passa ao ataque, vitima-se, chuta para trás e para o ar, com os pés, a cabeça e as mãos… Mas há um pequeno problema: ainda não deu conta que não há bola e que está em fuga para a frente aos pontapés no vazio.

 

http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2014-10-25-Primeiro-ministro-diz-que-jornalistas-e-comentadores-sao-preguiçosos