Parque Radial de Santiago: Almeida Henriques… se não sabe não estrague

por Paulo Neto | 2015.05.18 - 12:35

 

 

O Parque Radial de Santiago, criado pela Viseu Polis, é uma infra-estrutura de lazer importante para muitos viseenses. Mal o tempo se ameniza torna-se o “ginásio” de milhares de pessoas. Espraiando-se ao longo da margem direita do Pavia por aproximadamente um quilómetro de extensão, dotada de um bom piso facilitador da tracção, tem ainda pista alternativa em terra batida e, também, um mini-ginásio ao ar livre para exercícios de manutenção diversos, tabelas de basquetebol e um recinto para prática de futebol de “praia”, ou outros.

Este mês, com as “Manhãs Desportivas”, o espaço encheu-se de praticantes. Eram tantos — e nem adiantamos aleatórios números — que não havia estacionamento para carros em redor.

Porém, faltam alguns pormenores para a melhoria desta estrutura e cabal benefício dos utentes.

As casas de banho têm horário de “funcionário público”. Depois das 18 horas estão encerradas. Ainda ontem, uma mãe com duas crianças tentava em vão aceder ao wc… Lembramos que o maior afluxo semanal de utentes é depois daquela hora.

Os recipientes para o lixo — não falo daqueles para dejectos canídeos — são cilindros ferrugentos sem qualquer indicação do fim a que se destinam e com recolha de conteúdo muito intervalada no tempo.

O “contentor” para check-up preventivo de utentes nunca foi inaugurado, não se percebendo o que lá está a fazer.

Porém, o mais grave e desconexo é o concurso para abertura do bar/cafetaria ter ficado deserto e, consequentemente manter-se encerrado. No domingo passado, os utentes das “Manhãos Desportivas” queixavam-se em coro de nem uma água poderem comprar. Bem sabemos que a exploração é sazonal e pouco apetecível, o que é motivo suficiente para maior empenhamento da CMV na busca de uma solução do problema, eficaz e urgente.

Finalmente, a iluminação, depois de ter sido vandalizada há dois anos e tal, carece urgentemente de alternativa até e para evitar a “marginalização” nocturna do espaço. Uma sugestão: que tal candeeiros mais altos, a exemplo de alguns lá existentes, ou o seu aumento da potência?

O Parque Radial de Santiago é um exemplo elucidativo da incoerente política camarária… algum “fogo-faralho” e muita inconsequência a posteriori por clara apetência e opção limitada às festarolas efémeras e vinhateiras. Porque será?

Como é possível terem criado as “Manhãs Desportivas ”, alardearem que em 2014 mais de 4 mil pessoas aderiram ao conceito e não terem acautelado/pensado na obrigatória abertura do bar?

De que planeta vem tanta inconsistência comportamental e de atitudes? Será só insensatez ou tem à mistura incompetência?

 

Ver aqui…

http://www.cm-viseu.pt/index.php/diretorio/desporto/actividades-desportivas-municipais/manhas-desportivas