Os terroristas dos impostos

por Paulo Neto | 2015.03.10 - 00:18

Hoje temos mais uma subida na gasolina. O leitor sabe porquê? Ai não? Eu também não.

Parece que há umas entidades reguladoras da “coisa”, para evitar abusos, cartelizações, aumentos injustificados, etc. Mas… cá para mim, essas e outras entidades reguladoras são uma espécie de duquesas de Windsor com um grande penacho na cabeça. Figuras decorativas a aparentar um inexistente decoro. É pagar e não reclamar. Com este governo, a toda a hora, os preços sobem. Descer mesmo, só os salários, as aposentações e o poder de compra.

Coelho&Portas querem a maioria nas próximas legislativas. Para acabar de vender Portugal e desgraçar os portugueses.

Estas entidades reguladoras devem ser uma “coisa” de faz-de-contas, presumo eu, como será a CRESAP, Comissão de Recrutamento e Selecção para a Administração Pública…

(ver aqui: http://www.cresap.pt/composicao-da-cresap.html) … criada por este luminescente governo para dar transparência e um ar sério às nomeações para instituições públicas de amigalhaços e políticos desempregados. A clientela…

Depois vemos o resultado, como nos lugares dirigentes do ISS, 90% preenchidos por lugares-tenentes. Estes são os factos.

A meritocracia não existe no vocabulário “politiquês”. Só o amiguismo. O PS fez o mesmo que o PSD e o CDS estão a fazer. O sistema está podre, é fétido e uma ruína. A imagem mais viva da pior decadência abjecta e amoral…

O IMI está a bater-nos à porta. Com aumentos brutais. Em alguns casos da ordem dos 500% e mais. As autarquias precisam de encher os sacos rotos para gastar nas suas sumptuosas e supérfluas megalomanias. O poder central é um vampiro sequioso… o poder local também já tem uma ancha ninhada deles.

Ler aqui

 

Também o IUC vai aumentar. Aliás tem vindo a fazê-lo à média de 40% ao ano. Uma revista da especialidade até lhe chama “o imposto iceberg”, pois as receitas do Imposto Único de Circulação não são as declaradas pela Direcção Geral do Orçamento, existindo verbas camufladas que seguem de imediato para as autarquias. Assim, além das publicitadas pela DGO a rondar os 300 milhões, aparece uma receita escondida de mais 243 milhões de euros… Pagos pelo Zé!

A vilanagem tem a garganta funda… e estes fulanos são uns perigosos fundamentalistas e parecem uns terroristas dos impostos. Prometeram deixar a pedir 97% dos portugueses e transferir o surripiado para 3% dos multimilionários cevados neste autêntico e propício “estado de sítio”. E estão a conseguir!