Os dois rostos da cidade

por Paulo Neto | 2015.07.01 - 23:04

 

 

Pedro Passos Coelho, primeiro-ministro de Portugal, esteve ontem em Viseu a fazer campanha eleitoral.

Vinha acompanhado do ministro da Saúde, Paulo Macedo e do secretário de Estado que ajudou à venda da TAP, homem de swaps ruinosos, o mangualdense, Sérgio Monteiro.

Andaram por aí com luzida companhia, a inaugurar incubadoras – desta vez não tem nada a ver com cubas de tinto – a mostrar a cidade com o lixo varrido para baixo do tapete, com pompons & sobrados, e demais corte de acólitos a reluzir por esquinas e salões.

Foi bonito de ver na DãoTV. Até mesmo aquela parte em que o Pedro estendeu o “bacalhau” a um contestatário, ficou com ele no ar a secar, e ainda ouviu a resposta: “Isso é que era bom!”.

O Pedro devia saber que há coisas desnecessariamente arriscadas e muito provavelmente vexatórias. É que, apesar da intimidatória legião de seguranças tipo-USA-rayban-orelhophones, nem todos os viseenses são subservientes lambe-botas…

Promessas, palavras bonitas e vazias, o Sérgio a prometer estradas –  o ridículo fabiano! – que serão, ou não, assumidas pelo próximo governo saído das eleições de Outubro, seja ele qual for.

Um deboche de oratória falaciosa, fática e descarada.

 

Entretanto, na outra face da urbe reluzem os carros abandonados a poluir a paisagem, as ruas, os largos, as ruelas.

a bandeira

Tremeluzem ao vento da Estrela as sete bandeiras (nacionais e do município), encardidas de cansaço, na avenida 25 de Abril.

a poça

Os buracos continuam a esventrar seu líquido por tantos a peso de ouro pagos e o escorrega dos meninos da Radial de Santiago continua “fora de serviço” por falta da tabuinha de assento que nem custará 20 €. E etc.

escorregalow

 

É o presidente que temos… Preocupado em projectar-se, num desleixo de servir quem o elegeu…

É a Junta que temos, tão preocupada com “merda” de cão, com sua licença…