O Presidente do Futuro do Indicativo

por Paulo Neto | 2014.02.28 - 18:57

 

O edil viseense inaugurará um novo conceito de autarca: o do futuro do indicativo. Nós explicar-nos-emos: Na incapacidade de mostrar qualquer obra realmente palpável passará a usar o tempo e o modo do futuro do indicativo em todas as suas alocuções.

O compadre Zacarias, sempre com azia, a seu tempo o chamará de “Almeida-não-faz-fará”.  Mas será um exagero…

Grandes novidades no aeródromo cifrar-se-ão em “flops”. Ou melhor, serão “peanuts”.

Agora virá a praia do Almargem, e essa sim tornar-se-á, no futuro, o Atlântico das Beiras.

E até bem pensará o autarca pois com os preços dos combustíveis sempre a subir, as portagens a aumentar, o salário a “mingar”, o Almargem – este belo nome árabe do passado – acarretará doravante a solução para o nosso merecido veraneio.

Será também uma coisa que o futuro esclarecerá, a venda da Expovis.

A seu tempo saber-se-á em que mãos – chinesas, angolanas, colombianas… – cairá.

Quanto à Gestin o seu destino traçar-se-á já ontem.

Mas entre insolvência ou falência… O futuro dilucidará

Viseu será de 1ª água, alterar-se-á sensatamente o texto dos próximos cartazes sabendo que a dita, afinal, estará muito mais abaixo no Top10 do distrito.

E assim sucessiva e cansativamente…

Se são assim os autarcas do futuro, do século XXI, a toda a mecha, Senhor, negai-me ao presente, arredai-me do porvir e mandai-me, na máquina do tempo, para o século do passado…