Não tenho nada contra os ricos…

por Paulo Neto | 2014.10.21 - 00:02

… Não tenho nada contra os ricos, escrevia. Aliás, na grande maioria das situações deve dar muito jeito não andar a contar os euros na carteira…

Aquilo que tenho alguma dificuldade em compreender é uma estatística qualquer que por aí anda, afirmando, preto no branco, que nos últimos tempos os multimilionários aumentaram em Portugal e que há mais dez mil milionários do que há três anos.

Devemos todos ficar muito felizes, não ser invejosos, manifestar o nosso regozijo e parabenizar esses Midas. Clap, clap, clap!

Uma só minúscula sombra me inquieta…

E as centenas de milhares de novos-pobres? E os milhões de portugueses que, de repente, perderam uma situação de estável mediania para se tombarem no limiar da indigência?

Será que uns ficam assim, de súbito, musculadamente ricos à custa de todos os outros que chegaram ao tutano do osso?

Talvez seja apenas a política deste governo que favorece só alguns e desgraça todos os outros… Será possível?

E a ser assim, na hora do voto — que já não anda longe — este governo deve ir pedir os votos àqueles que com a sua política foram alarvemente beneficiados.

E se forem dez ou quinze, ou até vinte mil… estamos conversados. Nem do táxi precisam para irem juntos para o parlamento. Um Smart for two bastará.

Não pretendo trazer aqui à colação a velha luta de classes, mas uma última questão, porque perguntar não ofende: Em nome de que verdade, ideologia ou credo económico andam quase onze milhões de plácidos e conformados portugueses a “cevar” essa tão-mini-minoria?

Será que afinal o G. Orwell tinha razão no seu “O Triunfo dos Porcos“?

Por este andar ainda acabo a fazer citações em inglês do Thomas Piketty, que é francês…

triunfo1

 

Post scriptum (com o que por aí vai até já evito escrever PS…):

Porque caíram hoje quase 30% em bolsa os títulos da PT? Haverá algum grupo gaulês a peregrinar à Nª Sª de Lourdes? Será apenas mais um milagre de São Bava? Ou de São Pedro?