I love your doberman…

por Paulo Neto | 2015.06.29 - 11:00

 

 

Depois de centenas de palhaçadas a fazer de conta que quem-manda-aqui-sou-eu… Obama, do outro lado do Atlântico (Washington ou Honolulu?) pegou no telefone (ou terá sido tm?) e ligou. Ligou a quem? À patroa da Europa, a angelical Merkel. A desejar boa semana? Não. A dizer que é uma “chatice” a Grécia sair do euro.

É claro que Obama, com aquele seu grande coração de antigo activista dos direitos humanos está preocupadíssimo com o bem-estar e o equilíbrio político-económico-social dos gregos. No doubt at all!

É claro que Obama também estará um bocadinho preocupado com o já prometido apoio da China à Grécia. E também com o estreitamento de relações greco-soviéticas. Mas isso são pormenores de somenos.

O que é certo é que nada é certo. Chiça!

E depois de todos os clowns europeus intervirem e recusarem convictamente quaisquer moratórias a Atenas, ao som de Tannhäuser de Wagner, tendo por fundo o crocitar dos corvos na Floresta Negra, Washington espreguiça-se, faz estalar as articulações, e FMI, BCE, Eurostat, espenujam-se, catam piolhos com bico adunco e, apesar do herr führer Schaüble ameaçar deitar-se da cadeira abaixo, o diplomado à la Relves holandês, o homenzinho gaulês (mini Astérix sem poção) os parolos ibéricosexit e demais tralha faz-de-contas-que-somos-28, vão reunir pela 147ª vez (ou será 148ª?) num sub-Parnaso na margem do Danúbio (ou em Potsdam?) em busca da solução imposta pelos USA, reciclada e, como nova, lâmpada de Aladino a brilhar na obtusidade craniana fundida de uma lagarde-uivante.

E que sairá daqui? Uma caldeirada requentada de peixe pútrido a cheirar a fénico que tresanda? Ou  hackepeter-de-turco?

Claro está que e a seguir vão todos brindar com um Riesling fresco e frutado e se houver alguns arrotos incomodados fruto de possíveis azias aciduladas, não há como um chá de tília e um anti-ácido (se calhar a Rennie não basta) e, todos em fila, botas negras de canos a brilhar, braço direito de mão hirta com a palma para baixo estendido, num Avé Obama reverente, em coro entoarão …

 

Oh, say, can you see, by the dawn’s early light

What so proudly we hailed at the twilight’s lasted gleaming?

Whose broad stripes and bright stars, through the perilous fight,

O’er the ramparts we watched, were so gallantly streaming.

And the rockets’ red glare, the bombs bursting in air,

Gave proof through the night that our flag was still there.

Oh, say, does that star-spangled banner yet wave

O’er the land of the free and the home of the brave?