Coelho, o maioral do Pontal

por Paulo Neto | 2014.08.17 - 11:39

O Pontal é uma Meca social-democrata. De há 37 anos a esta data. Uma vez por ano, aproveitando para ir a banhos, anunciando a “rentrée”, encontram-se por lá, dizem umas “pachachadas” e glorificam o “grande líder” no bom estilo Kin Jong-un ou José Estaline.
Um do Porto, um Marco-qualquer-coisa, enquanto invocava em êxtase e recorrentemente “o nosso líder”, nos bons velhos tempos do Terreiro do Paço – mil autocarros da província, um bacalhau e 10$00 – ficava afónico de emoção apregoando 2013 como “o Pontal da esperança” e 2014 “o Pontal da mobilização”. E perorou sobre o 2012, naquele local, com a “economia de rastos e o desemprego galopante” e na salvação…
Será que estes tipos acreditam no que dizem?
”Para vencermos as eleições legislativas em 2015 temos ainda muito trabalho a fazer!” Mais? Fechar mais serviços? Aumentar o desemprego? O deficit? Reesburacar as contas públicas? Criar mais impostos? Salvar mais banqueiros? Mandar mais jovens emigrar? Roubar mais os funcionários públicos? Os aposentados? Fechar mais empresas? Falir mais comércios?
De facto… ainda têm um ano para acabar de vender o país a retalho aos chineses, angolanos e colombianos e vampirizar os poucos portugueses com “saúde”…
Coelho, preocupado com o buraco de 372 milhões de euros que a decisão do TC “abriu”, tirou da nossa almofada 4,5 mil milhões de euros para confortar as fraudes bancárias.
Mas atenção que o Grande Líder afirma estar a meio do caminho… Por isso, se não se lhe tolhe o passo, a 8ª praga cairá em Portugal e nem será dos gafanhotos, do sangue, das doenças, das trevas, da sarna… será a dos coelhos!
Mais cortes salariais, mais desemprego, mais emigração. A fórmula comprovado de Coelho para responder às ordens dos mercados seus patrões…
Há uma frase, se bem que hermética, sintomática… “Os pensionistas não merecem que todos os anos se tente fazer o que os outros não consentem que se faça…” Sabemos que Coelho não é “expert” na LM (língua materna) – como aliás em nada. Mas aqui… excede-se na ameaça!
Entretanto Portas, o já meio cilindrado penduricalho incómodo, foi apanhado em total estado de surpresa com as declarações do Coelho, ao prometer a vingança para 2015, quando afirmou que “não iria apresentar uma nova proposta política para reformar a Segurança Social…”. É que Portas, cujo ministério em causa é tutelado pelo da lambreta, seu pupilo, não sabia da decisão… Está de malas feitas. Fazemos votos que o bilhete seja de via única.

Foi bonita a festa, pá!

Num país escavacado, desgraçada, devastado… esta trupe ainda espera ter mais um ciclo de governação. Será o caos. Possível. Com um PS em fratricida guerra e um PCP e BE que não chegam para as encomendas. Passos tem a vida facilitada pelo alheamento dos portugueses, a sua brandura, a incompetência cúpida dos socialistas e um país desmemoriado. Ninguém se pode queixar.

Na Somália é que se vive bem…