Catarina Durão é o novo rosto do IPDJ

por Paulo Neto | 2016.09.25 - 20:58

Tenho o grato prazer de conhecer a Catarina Durão há muitos anos. Conheci-a menina, uma menina concentrada, estudiosa, aplicada. Conheci seus pais e fui e sou amigo do seu pai, um Homem de bem que muito bem fez a muita gente, no antigo Hospital de Viseu.

Sabê-la como directora distrital do Intituto Português do Desporto e da Juventude é para mim um motivo de regozijo e de satisfação.

Catarina Durão vai dirigir as delegações distritais de Viseu, Coimbra, Guarda, Aveiro, Castelo Branco e Leiria.

Há casos em que este tipo de nomeações transcende o cariz político pela competência e mérito do nomeado. Este é, decerto, um deles. Um daqueles casos que não deixa dúvidas, pois Catarina Durão vai prestigiar o lugar em questão, vai dar-lhe visibilidade e conceder-lhe todo o rigor e exigência da sua postura profissional e vivencial.

De seu nome completo, Catarina Augusta Cunha Nabais Durão nasceu em Guardão, Tondela. É Mestre em Administração e Gestão Pública pela Universidade de Aveiro  e Licenciada em Sociologia pela Universidade da Beira Interior.

Tem o Diploma de Especialização em Gestão Pública, o CADAP – Curso de Alta Direcção em Administração Pública  e o FORGEP– Programa de formação em Gestão Pública.

Foi Coordenadora Técnica do Centro Respostas Integradas de Viseu da Divisão de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências da Administração Regional de Saúde do Centro, IP; Directora do Centro de Respostas Integradas de Viseu, em Comissão de Serviço, da Delegação Regional do Centro do Instituto da Droga e da Toxicodependência, I. P.; Directora da Unidade de Prevenção de Viseu, em Comissão de Serviço, da Delegação Regional do Centro do Instituto da Droga e da Toxicodependência, I. P., etc., etc., etc.

No seu exercício profissional deixou sempre a marca da sua dinâmica, correcção e competência.

Estamos certos de que a escolha tão acertada e tão na meritocracia fundamentada só foi possível porque feita directamente pelo secretário de Estado da tutela, pois a ser decidida pelo presidente da Federação do PS Viseu, responderia eventualmente a outros critérios de companheirismo político-partidário, muito arredios da qualidade e da competência neste caso evidenciada.

Felicidades, Senhora Directora!