As vingançazinhas servidas com gelo, mesquinhez e gin…

por Paulo Neto | 2016.07.23 - 12:52

 

 

A concertada (?) eleição para o CES do viseense Correia de Campos abortou por quarenta e tal votos brancos, não perfazendo assim o número necessário para o efeito exigido.

A votação foi secreta, por isso não se podem imputar responsabilidades. Só conjecturá-las… 20 e tal do PSD, 10 do CDS/PP e 15 do PS saudosista anti-PS. Será?

Uma humilhação desnecessária para o ex-ministro da Saúde.

Uma lição a reter: quem acredita em acordos com aqueles “envolvidos”, deve requerê-los com expressão de braço no ar. Ao abrigo do anonimato agacha-se muita cobardia e destila-se muito refervido fel.

 

Em Viseu, definitivamente, a oposição camarária ao executivo PSD foi de banhos (exceptua-se a CDU e o BE na Assembleia Municipal). Ou antes, para ser mais semanticamente pertinente, foi chão que deu uvas. Mas também já foi de banhos em pleno Outono e Inverno. É possível que nessas alturas, sazonalmente, parta para paraísos tropicais. A não ser assim, a banhada, só mesmo na banheira.

É democraticamente lamentável constatar-se a pré-extinção do CDS/PP a todos os níveis de actuação. “Amochou”, diz o Compadre Zacarias com tristeza.

Hélder Amaral em fim de carreira, perdida a jucunda combatividade e arrogância política tornou-se um “riscado do mapa”.

O PS auto canibalizou-se. Com o general mais fraco de sempre à cabeça das desbaratadas hostes – António Borges – que se poderia esperar das tropas no terreno?

Ainda não desertaram em massa porque aguardam, alguns pacientemente, que alguma recompensa doiradinha lhes caia do céu no regaço, como foi o estranhíssimo caso do co-proprietário de um periódico local promovido a secretário de Estado, por obra e graça do atento Espírito Santo ou… da Nª Sª dos Remédios.

Entretanto, Costa faz sofrer os apaniguados não retirando dos lugares de nomeação política os 70 e tal comissários distritais indigitados pelo anterior governo, salvo raras excepções como o nomeado para o IEFP Tondela. Mas esse até se percebe… não é, Joaquim Santos?

Diz o aforismo que “quem os inimigos poupa às mãos lhes morre”. Será o caso. E em concreto os nomeados PSD do distrito, salvo meia dúzia de honrosas excepções, têm a cara de incompetente de quem os nomeou.

António Borges pouco ou nada risca, mas ainda assim, por passividade e frouxidão dos pares, vai levando calamitosamente o pucarinho à fonte, também ele num revanchismo destrutivo, servido bem frio.

Bom fim de semana!