A Convenção de Ventura

No rescaldo do evento, em entrevista à SIC, Ventura voltou a falar de demissão. Desta feita acerca das presidenciais foi peremptório: “Se ficar atrás de Ana Gomes e Marisa Matias demito-me.”

  • 10:43 | Segunda-feira, 21 de Setembro de 2020
  • Ler em < 1

A IIª Convenção do Chega decorreu em Évora com a presença de meio milhar de participantes.

Com slogans do tipo “Évora disse Chega”, à terceira tentativa, Ventura conseguiu aprovar a sua lista de nomes para a direcção do partido. Não sem alguma dramatização, bem encenada apesar do improviso, num discurso de muito “eu”, orquestrado e pontuado com silêncios à mistura (um deles teve dois minutos) e com a mensagem de ameaça de uma possível demissão se a lista não fosse aprovada.

Ao colocar os militantes presentes perante essa hipotética situação, o canal televisivo mostrou a imagem de um apoiante a lançar ambas as mãos à cabeça, num gesto de simbólico desespero. E esta imagem valeu por mil palavras…

No rescaldo do evento, em entrevista à SIC, Ventura voltou a falar de demissão. Desta feita acerca das presidenciais foi peremptório: “Se ficar atrás de Ana Gomes e Marisa Matias demito-me.”


Num partido de 1ª pessoa, centrado na imagem e discurso do seu líder, Ventura inaugura uma retórica nova para enfrentar os obstáculos: Se não for como eu quero eu saio. E está bem, faz jus a uma putativa autocracia egocêntrica, passe a tautologia, que ressalta do partido de “um homem só”, espécie de D. Sebastião, quatro séculos depois de Alcácer-Quibir, a trazer aos portugueses a messiânica palavra da salvação…

Será?

 

(Foto DR)

Gosto do artigo
Palavras-chave
Publicado por
Publicado em Editorial

Office Lizenz Kaufen Windows 10 pro lizenz kaufen Office 2019 Lizenz Office 365 lizenz kaufen Windows 10 Home lizenz kaufen Office 2016 lizenz kaufen office lisans satın al office 2019 satın al