Mangualde – Que mal anda a educação… afirma o PSD local

Até à pretérita semana estiveram sem água no refeitório. As crianças também não dispõem de um parque exterior, nem de equipamentos de apoio às atividades escolares e tempos livres (apesar de haver uma comparticipação dos pais para esse fim que ocorre de 3 em 3 meses e que acresce à prestação mensal que pagam para os filhos frequentarem a escola.).

Tópico(s) Artigo

  • 19:16 | Quinta-feira, 15 de Outubro de 2020
  • Ler em 2 minutos

Depois do início, sinuoso e imprevidente, do ano letivo na Escola Secundária Felismina Alcântara, marcado, sobretudo, pelas salas inadequadas para o tamanho das turmas e pelo desrespeito pelas regras imperativas que impõe o afastamento entre pessoas, idênticas negligências estão a ser permitidas nas instalações destinadas ao ensino pré-escolar.

Apontamos como exemplo o Jardim de infância S. Julião, na cidade de Mangualde.

Era suposto desenvolver a atividade a que se destina no espaço do antigo matadouro, na Rua Joaquim Agostinho, onde funcionava há cerca de 17 anos, espaço que foi adaptado e convertido em jardim de infância pela Câmara Municipal de Mangualde, então presidida pelo Dr. António Soares Marques.

Contrariamente, este ano, iniciou atividade num espaço pertence a outra escola do agrupamento (Ana de Castro Osório), o qual segundo as informações que colhemos foi concebido e usado durante muitos anos como biblioteca e que não tem as mais elementares condições para servir de jardim de infância.

Estão a ser cumpridos os legais afastamentos e outras exigências impostas pelas leis excecionais concernentes à pandemia Covid 19?

Até à pretérita semana estiveram sem água no refeitório. As crianças também não dispõem de um parque exterior, nem de equipamentos de apoio às atividades escolares e tempos livres (apesar de haver uma comparticipação dos pais para esse fim que ocorre de 3 em 3 meses e que acresce à prestação mensal que pagam para os filhos frequentarem a escola.). Como são obrigadas a mudar de calçado quando chegam à escola, as crianças acabam por andar descalças no interior do edifício, até terem acesso ao calçado da escola, enquanto alguns pais se vão queixando que as crianças adoecem e que há uma maior suscetibilidade das mesmas adoecerem. Até ao presente momento as autoridades municipais não adotaram a solução seguida por muitos outros estabelecimentos similares que é o uso de tapetes desinfetantes.

O espaço exterior usado pelas crianças tem pavimento em alcatrão, nada aconselhável às habituais brincadeiras e correrias das crianças. Podem vir a ocorrer acidentes porque as crianças não dispõem de condições de segurança e conforto.

É preciso dar condições de dignidade e segurança a estas unidades de ensino para que todos os utentes se sintam bem e tranquilos. Tal desiderato não tem sido assegurado pela Câmara Municipal nem pela Junta de Freguesia de Mangualde que têm tido uma visão míope e enviesada do ensino em toda a latitude do sector.

E com isso não nos conformaremos.

Nos últimos anos a Câmara Municipal de Mangualde adotou medidas políticas desastrosas, como foi o caso do encerramento de muitas escolas, o esquecimento de algumas freguesias e a degradação paulatina do edificado municipal que havia sido recuperado e valorizado pelos executivos anteriores.

Assim, vai Mangualde, de mal a pior… E a pedir uma valente mudança!”

PSD – Mangualde

 

Gosto do artigo
Palavras-chave
Publicado por
Publicado em Última Hora
mersin escort porno porno izle sex hikayeleri maltepe escort pendik escort izmit escort