Duas peças do Museu do Caramulo vão para Milão

O Museu do Caramulo vai emprestar duas peças para exposição da Fundação Prada em Milão

Tópico(s) Artigo

  • 21:07 | Quarta-feira, 04 de Março de 2020
  • Ler em 2 minutos

A Garrafa de Jorge Álvares e o Prato com o brasão dos Almeidas ou Mellos, pertencentes à colecção de arte do Museu do Caramulo, foram emprestadas para integrar a exposição “The Porcelain Room: Chinese Export Porcelain”, patente na Fundação Prada, em Milão, até 28 de Setembro.

O Museu do Caramulo possui, no seu acervo, um conjunto de cinquenta peças de cerâmica chinesa, entre as quais se encontram peças produzidas nos principais períodos de comércio entre a China e o mundo ocidental, de meados do século XVI ao século XIX.

A exposição, que conta com a curadoria de Jorge Welsh e Luísa Vinhais que explora o contexto histórico, a finalidade e o impacto da porcelana chinesa de exportação. “The Porcelain Room” exibe mais de 1700 porcelanas, fabricadas entre os séculos XVI e XIX, para diferentes mercados, grupos sociais e religiosos, demonstrando assim a eficiência dos produtores chineses.


A Garrafa de Jorge Álvares

Como um dos mais célebres exemplares da presença pioneira dos portugueses na China, destaca-se a Garrafa de Jorge Álvares, datada de 1552, decorada em tons de azul cobalto sob o vidrado, apresentando uma das primeiras inscrições em língua portuguesa, na porcelana chinesa. Na inscrição em posição invertida pode ler-se “isto mandou fazer Jorge Álvares, reina a era de 1552”.

Ao centro da base, inscrita em duplo círculo, vislumbra-se a divisa Wanfu Youtong, leia-se “que infinitas felicidades acompanhem todos os teus negócios”.

A inscrição não se refere a Jorge Álvares o primeiro português a chegar à China em 1513, mas a um outro navegador Jorge Álvares, capitão de um navio, comerciante e amigo de São Francisco de Xavier, que terá acompanhado Fernão Mendes Pinto na sua segunda viagem ao Japão.

O brasão dos Almeidas ou Mellos

O Prato com o brasão dos Almeidas ou Mellos, produzido no final do século XVII, é um dos primeiros exemplares a ser fabricado na designada Kraakporselein, comprovando que foram os portugueses os primeiros a encomendar este estilo de peças, de características que anunciam o fabrico em grande quantidade. As kraak, de porcelana fina decorada a azul cobalto sob o vidrado brilhante e ligeiramente azulado, com um tema central que poderá incluir flores, aves, insectos e gamos, a caldeira e aba tratadas como uma só e divididas em painéis geralmente preenchidos com flores e motivos simbólicos, são geralmente associadas à Companhia das Índias Orientais holandesa (Vereenigde Oostindische Compagnie – VOC), que a partir de 1605 passava a controlar o comércio da porcelana chinesa.

Gosto do artigo
Palavras-chave
Publicado por
Publicado em Última Hora

Office Lizenz Kaufen Windows 10 pro lizenz kaufen Office 2019 Lizenz Office 365 lizenz kaufen Windows 10 Home lizenz kaufen Office 2016 lizenz kaufen office lisans satın al office 2019 satın al follower kaufen instagram follower kaufen