Vereadores socialistas reagem à saída de Jorge Sobrado

Ao fim de pouco mais de 7 anos, do “núcleo duro político” do primeiro mandato de Almeida Henriques, apenas resta um vereador, o que não deixa de ser incomum para este tipo de cargos públicos.

Texto Rua Direita Fotografia Direitos Reservados (DR)

Tópico(s) Artigo

  • 15:32 | Quarta-feira, 27 de Janeiro de 2021
  • Ler em 2 minutos

Esteve sempre à vista dos viseenses que o vereador Jorge Sobrado era o mentor e o dinamizador do mandato autárquico de Almeida Henriques à frente do Município de Viseu. Mesmo no primeiro mandato, enquanto “todo poderoso” Adjunto do Presidente de Câmara. A ascensão e ascendência de Jorge Sobrado no Município de Viseu e no próprio Executivo era manifesta.

A política imaterial implementada pelo atual Executivo PSD, baseada em marketing territorial, qual propaganda institucional constante, imagem, comunicação e realização de eventos de animação urbana, foi concebida e implementada por Jorge Sobrado, precisamente com um curriculum académico, profissional e político na área da comunicação.

Jorge Sobrado era ainda “dono e senhor” da Viseu Marca, associação que organiza importantes eventos Municipais, como a Feira de São Mateus, mas que não tem a transparência e não permite o escrutínio político desejável, como o PS tem vindo a denunciar.

Jorge Sobrado, para além dos pelouros que lhe estavam formalmente atribuídos – Cultura e Ciência, Património, Turismo e Marketing Territorial -, com a preponderância que foi adquirindo no Município de Viseu, foi conquistando poderes através da coordenação de projetos relevantes supostamente de outros pelouros; como o Viseu Compr’Aqui ou o Viseu Ajuda; este um programa para apoio social de emergência no atual surto pandémico, o que torna menos compreensível a sua saída, no atual pico da Crise Pandémica.


A anunciada renúncia de Jorge Sobrado enquanto Vereador Executivo do Município de Viseu é mais uma fragilização decisiva do Executivo PSD de Almeida Henriques.

Uma renúncia que se sucede às demissões, politicamente pouco esclarecidas, de Homens fundamentais, como Joaquim Seixas, à data vice-presidente da câmara e presidente da concelhia do PSD, e de Nuno Nascimento, chefe de gabinete de Almeida Henriques, até aí muito preponderante na definição estratégica e ação do Executivo Municipal.

Ao fim de pouco mais de 7 anos, do “núcleo duro político” do primeiro mandato de Almeida Henriques, apenas resta um vereador, o que não deixa de ser incomum para este tipo de cargos públicos.

Em ano de eleições autárquicas, é tempo de os viseenses fazerem um balanço do Executivo PSD de Almeida Henriques e quão ele tem sido prejudicial para o melhor interesse do Município, de Viseu e dos viseenses.

Atualmente, o Município de Viseu não tem uma visão estratégica e uma política municipal consequente para Viseu e para os viseenses!

É tempo de mudar.”

 

(Foto DR)

Gosto do artigo
Palavras-chave
Publicado por
Publicado em Última Hora

Office Lizenz Kaufen Windows 10 pro lizenz kaufen Office 2019 Lizenz Office 365 lizenz kaufen Windows 10 Home lizenz kaufen Office 2016 lizenz kaufen windows lisansları windows 10 pro satın al follower kaufen instagram follower kaufen porno