Como estão a viver os estudantes em Erasmus?

E em Portugal? Os estudantes estrangeiros terão salvaguardada a sua integral subsistência, neste duro período de pandemia?

Tópico(s) Artigo

  • 14:47 | Domingo, 17 de Maio de 2020
  • Ler em 2 minutos

Portugal tem 3.543 estudantes nacionais a frequentar o Programa Erasmus (European Region Action Scheme for the Mobility of Universitý Students) e é um dos muitos países que os acolhe, oriundos de todos os países aderentes ao Programa.

Os estágios proporcionados aos estudantes são de pelo menos 3 meses e podem ir até um ano académico. Os participantes não pagam propinas e têm direito a uma bolsa Erasmus para fazer face às despesas inerentes à estadia fora do seu país e do seu habitat familiar.

O nosso país recebeu em média mais de 50.000 estudantes (dados de 2015/16) o que nos coloca no 7º país de acolhimento e 12º lugar quanto a estudantes portugueses a estudar no exterior.

De que vivem estes estudantes durante o período do seu Erasmus? De uma bolsa de 110 € dada pela EU e de uma bolsa concedida pelo Ministério de Educação de 185 €. O estudante tem ainda uma bolsa de viagem e acede também às residências e cantinas universitárias. Estes números foram os que conseguimos pesquisar. Salvaguardamos a possibilidade da sua alteração pontual.

Com o Covid19, com as universidades e politécnicos encerrados, as cantinas fechadas e novas regras impostas, a nível geral e a nível académico, há conhecimento de estudantes portugueses no estrangeiro a passar dificuldades graves, confinados e sem recursos económicos suficientes para enfrentar o seu dia a dia.

E em Portugal? Os estudantes estrangeiros terão salvaguardada a sua integral subsistência, neste duro período de pandemia?

Em Viseu, no IPV, quantos estudantes temos ao abrigo do Programa Erasmus? Estarão acauteladas as regras essenciais e mínimas para o seu bem-estar? Ou estarão, nalguns casos, a passar dificuldades e a recorrer a entidades de cariz humanitário, como por exemplo a Misericórdia?

O respeito pelos procedimentos protocolados é fundamental para podermos exigir reciprocidade no tratamento dos nossos milhares de estudantes por esses países fora.

Tenha-se isso bem presente…

Nota: Só em Itália, o país mais afectado pela pandemia, neste ano há 432 estudantes portugueses em Erasmus, de um total global de 3.543. Portugal recebeu 5.477 estudantes estrangeiros.

Gosto do artigo
Palavras-chave
Publicado por
Publicado em Opinião