Trump acusa Obama “do maior crime político da história americana”

Trump, desde o início do coronavírus tem tentado encontrar bodes expiatórios para a sua incompetência e inépcia como governante.

  • 23:11 | Sexta-feira, 15 de Maio de 2020
  • Ler em 2 minutos

EUA com mais de 85 mil óbitos e mais de 36 milhões de desempregados, o segundo maior número da história deste país, remete-nos para as sistemáticas atitudes de desvalorização da pandemia por parte do presidente Donald Trump que desde o início do surto epidémico Covid19 tudo fez para o ignorar, recusando-se a tomar as medidas imediatas de que o país carecia para obviar a uma tragédia.

As sistemáticas bufonarias de Trump já não fazem sorrir nem rir ninguém, antes se tornou bem claro que os americanos elegeram um psicopata para dirigir a nação.

Numa das últimas conferências de imprensa, às quais ora diz pôr definitivo termo, ora no dia seguinte as reinicia, uma jornalista americana de origem asiática, Weijia Jiang, colocou uma questão.

Obtendo esta resposta e pondo fim à conferência por incapacidade de resposta do presidente, mostrando um autocrata xenófobo, arrogante e oco.

Trump, desde o início do coronavírus tem tentado encontrar bodes expiatórios para a sua incompetência e inépcia como governante.

Primeira vítima: a OMS e o seu director-geral Tedros Adhanom Ghebreyesus, etíope, autoridade mundial na área da saúde pública e ex-ministro da saúde e das relações exteriores da Etiópia, que Trump acusou de ser cúmplice das autoridades chineses e de ter protelado a divulgação da realidade epidémica naquele país. Em retaliação, Trump retirou a contribuição monetária dos EUA à OMS.

Segunda vítima: os jornalistas “diabos à solta “, “mentirosos”, “inimigos” para prejudicarem Trump e não para informarem o país da verdade. Qual verdade? Isto da boca de um político a quem foram já contabilizadas para cima de 20 mil mentiras, soa a anedota, sendo perigosos para a democracia os seus constantes ataques à comunicação social visando desacreditá-la perante os americanos.

Terceira vítima: os democratas, naturais opositores aos republicanos, fonte de todos os males que acontecem no país.

Quarta vítima: o ex-presidente Obama que criticou Trump e a ineficaz política de combate ao vírus assim como a polémica decisão do Departamento de Justiça de retirar a acusação contra Michael Flynn, ex-conselheiro do presidente que fora acusado de ter mentido nos contactos com um diplomata russo. A resposta foi dada no twitter, meio privilegiado por Trump para comunicar as macro linhas da sua política em duas linhas, onde falando do Obamagate, refere “OBAMAGATE makes Watergate look small time!”, mas vai mais longe e acusa Obama do “maior crime político da história americana” sem nunca dizer qual foi…

E assim, sucessivamente, Trump vai criando manobras de diversão para distrair as atenções dos norte americanos quando as próximas eleições se desenham no horizonte, a 3 de Novembro de 2020, e se pode vir a perspectivar um eventual desaire nas urnas.

Gosto do artigo
Palavras-chave
Publicado por
Publicado em Editorial