Tempo de milagres, num país que é de Fátima, Fado e Futebol

por Paulo Neto | 2017.03.03 - 10:24

 

 

As nossas televisões passam imensas horas do dia, em pelo menos três dos seus quatro canais (TV cabo à parte) a discutir Vieiras, Carvalhos, Pintos e etc. e tal. Sem dúvida uma questão de “share”. Têm que dar o que o público quer. E o público quer futebol.

Porém, ontem, foi dia de milagres, a começar com aquele moço de Tondela ou do Caramulo, um Leitão-qualquer-coisa, que, pouco eloquente, trapalhão na retórica mas contundente no psitacismo, parece ser um verdadeiro milagre da política made in Molelos.

Excelente haver políticos assim. Do tipo, falar muito, mesmo que sejam só disparates; interromper o interlocutor; usar golpes rasteiros para fazer efeito; dizer inverdades, na certeza de que após serem proferidas, elas se depositam, ruminadoras, na mente dos telespectadores. É a nova moda/vaga argumentativa.

Outro milagre… o neo-Rangel não ficou convencido com o Núncio.
Há dias assim. Ontem até estava menos histérico, nem sequer guinchou e até se pôs duas ou três vezes de acordo com Fernando Rosas. Um espanto.

Lúcida, Manuela Ferreira Leite, também não gostou. Mas, Manuela Ferreira Leite é uma Senhora. E sabe do que fala, pois já foi ministra das Finanças. Chamou Núncio negligente ou incompetente, ou então, homem a dar o peito às balas para defesa dos seus ministros Gaspar & Albuquerque, mas sem ter noção dos conteúdos funcionais de um secretário de Estado. Deve ter doído…

Nada a estranhar num país de teodóricos e insustentáveis milagres, ou provável Alzheimer.

Até o presidente da República veio dizer que em Portugal, e sendo ele crente, os únicos milagres são em Fátima. A não ser que António Costa já esteja, também, milagrosamente, a ser acarinhado pelos reitores do Santuário, por mor de sua muita fé…

Melhor que isso, em dia de bizarros fenómenos, só mesmo o nazi polaco que renega a própria mãe, que o terá parido… naturalmente, por ser “pouco inteligente e baixa”. Ou milagre.

Um nosso amigo e colaborador do RD, diz que a disfunção neuronial se corrigia com umas bofetadas. E eu que sou um pacifista nato (não da NATO), estou plenamente de acordo.

Decerto outro caso galopante e preocupante de Alzheimer. Como é que estes moscardos mal-cheirosos representam a Europa? Talvez por estes e por outros, ela esteja moribunda…

Bava e Granadeiro, os grandes comendadores de Cavaco, devem ter muitas frieiras. Fala-se que de um saco azul (?) se fizeram 48 milhões em luvas. Ou então, em vez das frieiras, terão muitas mãos. Outro milagre, como o da multiplicação dos pães, da nossa estimada Sta. Isabel, de quem somos fiéis devotos.

Também não há-de ser grande milagre congelar contas na Suíça, com aquele frio. Brrrrrrr!

Outro milagre do altíssimo é Carlos Costa, o “inamovível” (dizem…) governador do Banco de Portugal que, ao ver o sangue esguichar da jugular do BES/GES/RIOFORTE e etc., etc., etc., em vez de cauterizar a lacerada veia, foi buscar tripa para encher morcelas.

O PSD gaba-o muito. Lá saberá porquê, na inversamente proporcional medida em que os portugueses vão ter que pagar os milhares de milhões de danos causados. Outros dois milagres, foram os “cruzamentos” do BES com o Banif e o Montepio. Milagrosamente todos ficaram até hoje a boiar na impunidade.

Excessivamente voltigeante, este mundo moderno, para a minha lentidão de análise. O que não é milagre nenhum, dada a minha vetustez.

Provavelmente, vou ter que reprogramar a centralina, como fiz no velho Terrano, que agora, milagrosamente, quase parece um irrequieto Cayenne… de pelintra.