Será que já disseram a A. Henriques que a Aguieira está ali?

Nos meus passeios dominicais, como o de hoje, dei comigo a montante do designado Parque Urbano da Aguieira. Fiquei impressionado com aquela enorme extensão de “verde” e curioso de saber em que consistia. A Wikipédia informou-me do seguinte: “O Parque Urbano da Aguieira previsto para a zona da Aguieira, freguesia de São José, ainda não […]

  • 14:49 | Domingo, 30 de Março de 2014
  • Ler em 2 minutos

Nos meus passeios dominicais, como o de hoje, dei comigo a montante do designado Parque Urbano da Aguieira. Fiquei impressionado com aquela enorme extensão de “verde” e curioso de saber em que consistia.
A Wikipédia informou-me do seguinte:
“O Parque Urbano da Aguieira previsto para a zona da Aguieira, freguesia de São José, ainda não foi concluído, actualmente é apenas constituído por uma mancha verde, percorrida pela Ecopista do Dão, uma via perimetral – Avenida Engº Coelho de Araújo que delimita o futuro parque e vários caminhos e percursos pedonais.
Quando estiver concluído irá ter:

  • Clube de Rio ( Pesca e Restaurante )
  • Clube de Montanha ( escalada e outras actividades )
  • Clube de Campo ( Hipismo )
  • Piscinas
  • Pavilhão Desportivo
  • Ecopista
  • Pecursos Pedestres
  • Perimetral da Aguieira

A sua área é de 23 hectares.”
Depois fui a uma empresa chamada AFACONSULT com escritórios no Porto, em Lisboa e em São Paulo que mais acrescentou:
“Parque Urbano da Aguieira representa para a Câmara de Viseu um importante investimento em equipamentos de lazer e uma mais-valia para a Cidade ao nível dos espaços verdes consolidados.
O Arquitecto definiu como lógica de intervenção “uma cultura de transformação, em oposição à de desperdício”. É neste contexto que se enquadram as intervenções previstas ao nível dos projectos de infra-estruturas, procurando encontrar traçados de conjunto integrados que minimizem o movimento de terras necessário à implementação dos respectivos serviços.”
De seguida, encontrei um DR que fala sobre o assunto:
Finalmente, depois de por ali deambular e tirar   muitas fotografias, a pergunta:
Porque está tudo aquilo parado?
Porque não é dada sequência ao interessantíssimo projecto inicial?
Estamos a falar de uma área de 230.000 m2 que comportaria  infra estruturas importantes para o incremento turístico da cidade e para o  bem-estar dos viseenses.
Houve algum problema?
Choque de conflitos?
Ou está tudo em movimento e eu é que não tive olhos para ver?
Por falta de disponibilidade material da autarquia não será de certeza.
Um município que gasta um milhão de euros em jardins com tanta natureza à porta de casa?

Gosto do artigo
Publicado por
Publicado em Editorial