Se Coelho é sério tem que parecê-lo!

por Paulo Neto | 2015.03.02 - 16:34

 

Coelho, o primeiro-ministro de Portugal, será um indivíduo sério. Não se põe em causa esse atributo. Também a mulher de César. Mas nem um nem outro pareciam/parecem sê-lo .

As mulheres legítimas de César foram três: Cornélia Cinila, Pompeia Sula, Calpúrnia Pisão. A sua mais célebre amante foi Cleópatra. A corte do jovem Plúbio Cláudio Pulcro a Pompeia deu origem à célebre frase…

cleo_caesar

Coelho mentiu aos portugueses antes de ser eleito e quando fez exactamente o oposto do prometido depois de sufragado.

Coelho “embaralhou-se” completamente no caso Tecnoforma, nunca conseguindo explicar quanto recebeu e que descontos fez por esses recebimentos, tendo levado sumiço todos os suportes contabilísticos inerentes.

Coelho, aquele que acirrou a implacabilidade fiscal, que persegue e penhora cidadãos por meras faltas de pagamento de um IUC ou de uma portagem Brisa/Ascendi, que lhes tira a casa por cêntimos,  não pagou à Segurança Social o que lhe era devido. Alega que “não tinha consciência de o dever fazer”. Alega “desconhecimento da Lei“.

Mota Soares o ministro CDS que despede 700 funcionários, que dá 55 milhões de euros dos impostos saqueados aos portugueses às IPSS’s a meses das eleições, porque elas são, maioritariamente dirigidas por padres, na sua política de sacristia, veio em sua defesa – claro! – e foi pior a emenda que o soneto.

O ex-presidente do ISS, Edmundo Martinho, cilindrou Coelho ao afirmar que este “esteve numa situação continuada de evasão contributiva entre 1999 e 2004”; mais acrescentou “de modo nenhum é possível invocar o desconhecimento da lei” e concluiu “Uma coisa é a capacidade dos serviços para notificarem ou não os contribuintes em falta, outra é o facto que lhe dá origem. A notificação é um acto administrativo relevante mas não é relevante para a prática original de não pagamento.”

Em qualquer país não subdesenvolvido, um político com esta praxis teria a réstia de vergonha necessária para se demitir. Em Portugal, pede maioria absoluta em Outubro.

Estamos falados!