O Bloco de Esquerda dá luz verde ao orçamento do PSD para a Junta de Freguesia de Viseu

  Ontem, dia 5 de Dezembro, a reunião da Junta de Freguesia de Viseu alargou-se até quase às 21h00. Na sua Ordem de Trabalhos tinha como ponto central a aprovação do Orçamento e do Plano Plurianual de Actividades para 2015. O CDS-PP, o PS e a CDU votaram contra, o que prefez nove votos. O […]

  • 10:05 | Sábado, 06 de Dezembro de 2014
  • Ler em 2 minutos

 
Ontem, dia 5 de Dezembro, a reunião da Junta de Freguesia de Viseu alargou-se até quase às 21h00.
Na sua Ordem de Trabalhos tinha como ponto central a aprovação do Orçamento e do Plano Plurianual de Actividades para 2015.
O CDS-PP, o PS e a CDU votaram contra, o que prefez nove votos.
O PSD votou a favor, o que contabilizou nove votos e, consequentemente, um empate.
Porém, o Bloco de Esquerda pela abstenção de Luís Mouga Lopes deu a luz verde necessária à aprovação, tendo o presidente sido obrigado a exercer o seu voto de qualidade, para esse fim.
Lembramos que já em 2014 tinha sido esta a posição do BE, num orçamento despesista que, e entre outras vultuosas e bizarras despesas, como condecorações e medalhas,  contemplava a aquisição de um veículo — no caso concreto, um VW Passat Variant — para uso do seu presidente Diamantino, que faz história em 40 anos de democracia viseense, senão nacional, ao auto dotar-se de um veículo de gama média alta para se deslocar em serviço e de casa para a Junta e vice-versa, sem explicação, justificação, antes numa gaia prepotência de um novo-riquismo inusitado, a mostrar com clareza (e destreza) como se “investem” os dinheiros públicos, num orçamento onde os gastos com rubricas sociais não valem um pires de tremoços.
Com a fome a alastrar em Portugal, os desempregados a engrossar fileiras, os despedimentos a aumentar em cada dia que passa, o número dos sem-abrigo a crescer, esta postura do presidente Diamantino e seus acólitos é o retrato fidedigno dos políticos que temos e das suas prioridades.
Palavras para quê? É um “regedor bem montado”, como merece e mandam as regras da boa governança, decerto aprendidas a nível nacional, com o “Pai da Pátria”, Passos Coelho, entretanto muito entretido a vender a Nação a retalho.
Gorduras? Qual quê! Passats castanhos metalizados numa Junta perto de si.
Quanto à postura — dupla e enfaticamente assumida — do representante do BE, ela mostra uma nova atitude, uma nova aliança, bastante diferente da que Catarina Martins, João Semedo e os outros seus camaradas têm assumido publicamente, a nível nacional e na Assembleia da República.
 

Gosto do artigo
Publicado por
Publicado em Editorial

Office Lizenz Kaufen Windows 10 pro lizenz kaufen Office 2019 Lizenz Office 365 lizenz kaufen Windows 10 Home lizenz kaufen Office 2016 lizenz kaufen windows lisansları windows 10 pro satın al follower kaufen instagram follower kaufen porno