Miguel Ginestal na indústria farmacêutica

por Paulo Neto | 2015.05.15 - 10:33

 

Ou o mundo anda a mudar depressa de mais, ou eu estou a locomover-me à velocidade do caracol, ou ambas as premissas são verdadeiras.

Acabo de ler na revista “Sábado”, pág,. 20 da edição de 14 de Maio, que o estimado viseense Miguel Ginestal ocupa desde meados de Abril o lugar de assessor de direcção da Apifarma, Associação Portuguesa da Indústria Financeira.

Aqui:

mgi sub

Quedei-me pré-atónito pois, entre outras fundamentações credíveis, sempre acreditara que Miguel Ginestal tinha uma  duradoira paixão pela Educação.

Mas não. Ginestal, ex-número dois do seu compadre José Junqueiro, ex-número dois do seu outro compadre António José Seguro (só não é número dois do seu outro compadre Almeida Henriques), número dois do duriense António Borges, passou a número …?… da direcção da Apifarma.

Não lhe conhecíamos o know-how na área; mas também não conhecíamos o de José Sócrates que tomou por patrão Lalanda e Castro, na Octopharma e depois na Dynamic Pharma, pois segundo aquele administrador, poderia “constituir uma mais-valia muito relevante em actividades económicas a desenvolver fora de Portugal”, nem o de Óscar Gaspar, ex-conselheiro económico de Seguro, agora na Merck, Sharp & Dohme… talvez esta inusitada apetência da indústria farmacêutica por políticos “desempregados” tenha a ver com ex bastonários, assim como é possível que a bizarra apetência pelos medicamentos seja, apenas, um profiláctico caso de bem estar e boa saúde, física, mental e material, pois todas se complementam muito harmoniosamente.

Ginestal fez carreira no PS Viseu. Foi deputado, governador civil, candidato derrotado à autarquia local. Mais tarde, o compadre Seguro chamou-o para seu assessor no PS-Rato, ou do PS nacional. Não sou muito conhecedor destes meandros…

Mas não se ficou só por aqui na sua polifacetada competência. Foi às origens, à terra, e fez-se agricultor, vinhateiro, enólogo… e professor. Professor de carreira do Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul, instituição que e afinal ainda não teve o ensejo de auscultar, in locu, essa sua paixão pela educação.

Miguel Ginestal, número 2 do presidente da Federação do PS Viseu, com este excelente CV, conhecedor dos labirínticos meandros do poder e dos corredores de S. Bento, é um forte candidato a deputado pelo distrito, numa lista que poderá ser encabeçada pelo seu patrono Correia de Campos, seguido pelo seu presidente de agora, António Borges, continuado com a quota feminina por Elza Pais, de Mangualde, ou Maribel Moutela, de Lamego, ou Lúcia Silva, de Viseu ou Adelaide Modesto, também de Viseu, procedido por outro ex-governador civil e deputado, o seu amigo Acácio Pinto, que se antecede ao “senador” José Junqueiro, compadre e também leal amigo, seguido de… ora bolas, lá me despistei! Há mais 37 ou 43 putativos candidatos com ticket tirado, mas perdi o papel onde os apontei e a minha cabeça já não é como dantes.

Alguém me arranja uma Aspirina, please?

 

 

(foto DR)