Goooood Mooooorniiiiig V…iiiiiseu! Vem aí a “Rádio Cota”…

por Paulo Neto | 2016.08.08 - 06:32

O conhecido empresário João Cota Rebelo, sócio de Francisco Rebelo, do Grupo Lena Comunicações, no Jornal do Centro – o outro ex-sócio foi para secretário-de-estado-de-qualquer-coisa – parece ter um desejo grande de investir “forte e feio” na comunicação social local.

Assim, depois do projecto do semanário, talvez para se alcandorar e fazer jus ao título de “Berlusconi da Beira”, adquiriu uma rádio do Carregal do Sal, denominada Soncentro, que passará a emitir em 98.qualquer-coisa e, segundo se prevê, em complemento com o periódico do qual é co-detentor.

Aparentemente único investidor deste projecto e seu gerente, ignoramos se virá a ser também activo locutor, com os seus 15 minutos diários de “CotaNews”, que pouco antes de Outubro de 2017, eventualmente, se poderá alargar aos 60 minutos diários, ou mais.

cotta

 

O veterinário, ex-proprietário da Controlvet, terá provavelmente encontrado uma tardia, se bem que oportuna, realização profissional nesta área da difusão noticiosa por via radialista, indo em breve por esses ares fora, em imparáveis ondas hertzianas.

Cremos até que já houvera em tempos uma manifestação de interesse pela finada Rádio Mangualde, que foi frustrada por pertencer a uma cooperativa e pela legislação que rege, especificamente, a alienação de bens nesse contexto integrados. Até a IURD (?) a queria…

Só não sabemos como vai João Cota Rebelo fazer publicidade paga à CMV de cuja Assembleia Municipal é vice-presidente, ao IPV, cuja presidência do Conselho Geral detém, à AIRV onde exerce funções de presidente da Assembleia-Geral, ao CERV onde é presidente e à “Viseu Marca” que co-gere*, etc.

viseu marca2(foto DR)

 

É que alguma mente mais tortuosa poderia pensar que estaria, de alguma forma, a fazer negócios consigo próprio. O que não sendo o caso, se poderia inserir naquela rábula de à “mulher de César…”

O próximo passo poderá ser dado ainda antes de Outubro de 2017, data das eleições autárquicas, com a compra de uma plausível “TV Cota” – congemina o Compadre Zacarias – que seria decerto um sucesso a difundir do largo do Rossio, do Jardim das Mães ou da zona industrial de Cabanões.

Este modelar empreendedor deve ser muito louvado pela sua enérgica capacidade de iniciativa, quer a nível empresarial, quer a nível do seu brilhantíssimo desempenho nas diversas instituições públicas e privadas onde tem implementado obra de altíssimo gabarito e de uma imensa mais-valia para o território, o que decerto ninguém contestará, deixando aqui o Rua Direita um lembrete ao seu (dele) companheiro Almeida Henriques para não se esquecer de, com a mais imperiosa brevidade, lhe atribuir o Viriato de Ouro.

Pode ser mesmo aquele que Fernando Ruas já recusou por duas vezes, pois já estará acrescido do valor afectivo, estimativo e de futura colecção.

João Cota Rebelo “sucedeu” nesta área a outro meritório e notável empresário agora ausente além-mar, Pedro Santiago, que de 2011 a 2013 muito pugnou por ser o “Murdoch Beirão”, título que só não logrou alcançar devido ao crash de 2008 (haverá aqui alguma anacronia?) e a quem os três Rebelos, João Cota, João Paulo e Francisco compraram o título à insolvente “O Centro – Produção e Edição de Conteúdos, Lda.”, o que os colocou nesta promissória senda do jornalismo regional.

O Rua Direita deseja o maior sucesso a este novel empreendimento na área da CS, do qual a Beira Alta tão carenciada estava.

Não tanto como o comboio Aveiro-Viseu-Salamanca, a auto estrada Viseu-Coimbra ou a Universidade Pública… mas quase.

 

* Se nos enganámos nalgum cargo, apresentamos desde já humílimas desculpas.