Gabar a CMV…

por Paulo Neto | 2017.01.01 - 17:51

 

 

Claro está que o fazemos com o maior prazer !

Em boa verdade também e pelo cálculo das probabilidades, não podem andar sempre a asnear… Ademais, não são muito orates, pois aprendem depressa com as “dicas” que lhes vamos dando.

Neste caso, o executivo comandado por Almeida Henriques e face ao elevado número de atropelamentos que se vêm registando nas artérias de Viseu (mais de duas dezenas em 2016), com principal incidência nas passadeiras da circular, decidiu colocar semáforos na ascendente e descendente Avenida Cidade de S. Filipe, entre as rotundas do McDonald’s e do Montebelo, uma longa recta convidativa a exercícios de track days mais próprios de um autódromo.

Louvamos a iniciativa e a “bondade” do acto. Talvez com aqueles dois semáforos de sensor de velocidade se minimizem os riscos e os atropelamentos provocados.

A PSP, com os radares, já percebeu que obtém poucos resultados. Claro está, para além dos que proporciona ao erário público e à própria entidade autuante.

Fazemos votos de que sejam um elemento dissuasor da velocidade, com resultados concretos e que não sirva de alguma forma para afunilar o trânsito naquela artéria onde, em determinadas horas, a circulação já não flui, criando constrangimentos aos utentes. Mas também “não se pode ser preso por ter cão e preso por não ter”, sejamos justos.

Como não flui o trânsito na saída para Mangualde e por culpa de um irreflectido semáforo existente junto ao “Recheio”, onde deveria estar uma rotunda. Aliás, chegar da saída da A25, junto ao nó do Caçador, a Viseu (e vice-versa) é sempre um exercício de grande rigor, paciência e contenção mental…

Ler nossa notícia sobre atropelamentos…

Em Viseu, 21 atropelamentos em 11 meses, ainda não chegam?