Eu gosto do Leopoldo…

por Paulo Neto | 2014.07.04 - 10:26

 

Há que confessá-lo… Eu gosto do Leopoldo. Assumo-o com frontalidade. Aquele seu ar simpático, bonacheirão, sorridente. Aqueles óculos com aros de massa beige… Aquela gravata colegial de tipo “Oxford-démodé”, às risquinhas vermelhas oblíquas. O fatinho escuro com a camisa cinzenta de dois botõezinhos nas pontas dos colarinhos. Tudo no Leopoldo é fiável.

O tipo de homem a quem se pede um conselho, com quem se joga à bisca ou ao dominó.

O Leopoldo tem uma luminosidade no olhar como os grandes líderes. Ele teve um sonho. Ele e o Martin…

O Leopoldo tem um bonito nome. Leonino. Poderoso. É Mesquita de apelido, o que lhe confere um ar aristocrático. Usa as cores da bandeira de Espanha mas… lembremo-nos sempre que em Espanha não há só falangistas nem realistas. Em Espanha há os “rojos”.

Leopoldo é a favor de um governo democrático e patriótico. Ele e mais os 11 milhões de portugueses que são a favor do novo corte de cabelo do Ronaldo. Leopoldo tinha um slogan, no seu sonho, que partilho integralmente: “Fora o Euro! Venha o Escudo!”, eu também prefiro os 200 paus que me dão para comprar 5 papo secos. E também admiro muito a personalidade daqueles dois pontos de exclamação, que vincam o discurso de uma forma tão assertiva. Como um murro na mesa!!

Vejo o Leopoldo todos os dias. Várias vezes ao dia. Por isso, também, tornou-se um hábito na minha vida vazia, o Leopoldo…

Convivo com o Leopoldo desde dois meses antes das eleições para o parlamento europeu, a 25 de Maio de 2014, ou seja, há 120 dias. Há relações que não duram um décimo desse tempo…

Por isso peço encarecidamente aos senhores da câmara municipal de Viseu que mandem retirar urgentemente aquela horrorosa “selfie” do Partido Socialista onde aparecem todos a fingir que são amigos, com um ar meio azoratado, mas que me deixem o Leopoldo.

Se mo tiram, o regresso a casa nunca mais vai ser como antes…