E quando os chineses apagarem Portugal?

por Paulo Neto | 2016.12.28 - 09:48

Vender Portugal ao desbarato foi um dos  grandes objectivos de Coelho e Portas. Estavam programados para isso. Tudo o que era bom “foi à vida”, o que não prestava ficou para aí aos caídos.

Por isso não nos podemos admirar quando lemos manchetes deste teor: “Chineses levam 669 milhões da luz” com um primeiro sub-título: “Dividendos da EDP e REN enchem cofres em Pequim” e um segundo que diz: “Empresas eléctricas compensam investimento com lucros generosos”.

E aqui está a essência da política da coligação PàF: privatizar tudo o que era uma mais valia nacional; entregar aos mercados; vender… vender… vender…

O Compadre Zacarias, como sempre e com aquele seu instinto mais letal, vai direito à jugular:

— “As administrações eram pagas para dar prejuízo e fornecer o pretexto para alienar as empresas.”

Exageros à parte, de repente, os lucros são fabulosamente “generosos”.

E o mais grave nem é a saída dessas centenas de milhões de euros em lucros repentinamente surgidos… o mais grave é que pusemos nas mãos dos chineses a nossa sobrevivência vital, pois no dia em que acordarem maldispostos deixam Portugal às escuras… e pelo tempo que entenderem.

Perceberam?