E ninguém avisa o Borges?

por Paulo Neto | 2015.12.08 - 13:36

 

 

O presidente da Assembleia Municipal de Resende, onde foi também presidente da Câmara um ror de anos, presidente da Federação Distrital do PS Viseu, deputado e comendador agraciado por Cavaco Silva, Leitão Borges é um homem feliz pois conseguiu todos os seus objectivos políticos para 2014/2015.

Substituiu João Azevedo na federação, ganhou-a ao outro oponente candidato, Acácio Pinto, formou as listas com a sua rapaziada — excepção da nº 1 da lista imposta por Lisboa — conseguiu meter uma deputada por Lamego (ou será Resende?), foi agraciado pelos pátrios serviços com uma comenda-cujo-nome-não-nos-ocorre, sagrou-se deputado da Nação e etc. e tal.

Mas…esta conjunção adversativa é francamente arreliadora, parece que lá por Lisboa apesar de homem de peso, não tem peso quase nenhum.

Talvez por isso tenha ficado muito perturbado e surpreendido com a nomeação de Óscar Rocha, coronel, comandante do Grupo Territorial da GNR de Viseu, para o lugar de assessor de segurança do primeiro-ministro. É que ninguém o avisou…

Talvez por isso tenha ficado muito perturbado e surpreendido com a nomeação de Rosa Monteiro, docente-investigadora, vereadora do PS na câmara de Viseu, para o lugar de assessora da igualdade e cidadania do ministro-adjunto, Eduardo Cabrita. É que ninguém o avisou…

Como ninguém o avisou ainda de outras nomeações a vir… a ele, ao comendador-deputado Leitão Borges, que tem uma ávida fila interminável de apoiantes para colocar.

E que pelos vistos terão razões para andar desgostosos com o seu promissor líder a quem juraram fidelidade eterna por uns dias.

É que na política, como um peso-pesado experiente como Borges não ignorará, não há jantares de borla…

Porém, ainda há uns lugarzitos para preencher aqui por Viseu, o que atrasa a morte da esperança e ilumina tenuemente o desdouro do destrato.