É nesta malta que vamos votar…

por Paulo Neto | 2015.09.05 - 22:25

 

 

Se fizermos uma breve análise dos deputados eleitos pelo círculo de Viseu na XIIª Legislatura, temos do PSD, Ester Vargas, João Figueiredo, Pedro Alves, Arménio Santos e Teresa Santos.

Do CDS-PP Hélder Amaral.

Do PS, Acácio Pinto, Elza Pais e José Junqueiro.

Nesta XIIª Legislatura qual o contributo que deram ao distrito?

Quais destes nomes o leitor/eleitor consegue reconhecer/identificar como alguém em que valeu/vale a pena votar?

Destes 9 foram 3 os reconduzidos para as listas. Hélder Amaral e Pedro Alves, da coligação PàF e Elza Pais, que o PS Viseu não aceitou e que é candidata por Coimbra.

De Hélder Amaral nada se reconhece como meritório trabalho desenvolvido. Lutou por si e por alguns dos seus apaniguados, praticando em geral uma política de sacristia.

De Pedro Alves se sabe ser um óptimo “correio” dos autarcas seus correligionários. O homem certo para solicitar audiências ou tratar de um assuntozinho pendente.

De Elza Pais, reconhece-se o trabalho empenhado que partilhou com os seus dois outros colegas, em triunvirato.

Hélder Amaral falhou também como autarca eleito para vereador da CMV.

José Junqueiro também.

Ambos por motivos diferentes mas com resultados palpáveis semelhantes, deixaram mal seus eleitores.

O grande injustiçado e deputado com mais acção e relevância concretas, Acácio Pinto foi apeado desta corrida. Pelo único motivo de se opor ao “tribalista” de Resende por aí caído de pára quedas, ao político da oportunidade e “revanche”, Miguel-qualquer-coisa e aos “turquinhos” que andam todos esbarrigadinhos atrás do prometido óbolo.

Das listas destes 3 partidos que elegeram deputados, das novas listas, sobressairá estranhamente Maria Manuela Leitão, do PS, pessoa que nada tem a ver com o distrito, imposta por Lisboa. O resto…

Aparecem novas candidaturas com novos nomes. Pouco se têm dado a conhecer espartilhados na falta de meios materiais para difundirem suas ideias. Ainda assim, podemos vir a ter surpresas interessantes no entendimento de que o arco PSD/CDS-PS nada traz de diferente, sendo os primeiros mais da mesma mediocridade e os segundos maus de mais…

Ou seja, nesta rotatividade ou se vota Coelho ou Costa… ou nas outras consideráveis opções!