A Igreja estava toda iluminada…

por Paulo Neto | 2015.04.27 - 16:25

Os bons casamentos, apesar das infidelidades, sobrevivem temporalmente a todas as tempestades e, após elas, bonançosos, são um remanso regalão de luxuriosa e vibrante felicidade.

Perante a absoluta certeza da mais taxativa derrota eleitoral nas legislativas de Outubro, Coelho & Portas passaram lestos e oportunamente do concubinato ao matrimónio de igreja.

E não escassearam patriarcas, cardiais e bispos a oficiar a cerimónia.

A noiva só não foi de branco e com o ramo de fores de laranjeira ao peito núbil porque algum convidado mais brejeiro podia invocar o traiçoeiro e leviano passado, antes optando, como na Grécia antiga, por um “bouquet” de finas ervas e odoroso alho para afastar o mau-olhado.
Agora que já estão negociadas, devidamente aprontadas e decerto lindamente aperaltadas as listas de candidatos a deputados por Viseu – ao que se consta o único partido que ainda não conseguiu foi o PS, porque para 3 lugares tem 134 candidatos e 125 candidatas – percebe-se o sorriso radiante de Hélder Amaral, assim como se entende o seu brilhantíssimo trabalho enquanto vereador da oposição na CMV.

Nem precisa de concorrer às próximas autárquicas, onde, se o fizer, decerto aparecerá na campanha de braço dado com o seu estimado e de sempre duradoiro amigo fiel Fernando Ruas.

Saúda-se o regresso do tondelense Carlos Marta Gonçalves, um nome que enriquecerá e dignificará esta lista.

Aos recém-matrimoniados o RD auspicia uma harmoniosa  e fecunda lua-de-mel.

Aos putativos candidatos augura o maior sucesso e, no mínimo, a eleição de cinco lídimos representantes da Nação.

(c/ a devida vénia… Trio Odemira)