Cavaco e seus comendadores…

por Paulo Neto | 2015.01.09 - 18:20

Como era de esperar, a direita radical francesa, pela voz da sua líder Marine Le Pen, já reclama a reinstauração da pena de morte. A carnificina perpetrada pelos irmãos Kouachi, Said e Cherif, este acto hediondo veio dar o pretexto à extrema-direita para radicalizar o extremismo do seu ódio e provar que há pontos onde os fundamentalismos se tocam.

Twin Guillotines

Com os milhões de árabes residentes no hexágono, o exacerbamento da xenofobia pode degenerar em violentíssimos confrontos e sucessivos atentados, numa escalada de violência ilimitada e com consequências temíveis para a França e restantes países europeus.

 

Nas urgências dos hospitais, os doentes, acantonados em corredores, continuam a morrer sem conseguirem ser vistos por um médico.

urgencias

O ministério da Saúde justifica-se com a vaga de frio, como se estivéssemos na Dinamarca ou Noruega… Explicação esparvoada para tapar com a peneira da desrazão o caos e a morte

Em que país vivemos, na Somália? Assemelha-se ao 3º mundo… Pensamos que para este governo Coelho&Portas as vidas humanas têm reduzido ou nenhum valor mas, tenhamos presente: em breve serão mais os mortos por falta de atendimento nas urgências hospitalares do que a mortandade na redacção do Charlie Hebdo…

 

Os norte-americanos estão na “poupa”. E vai daí, apesar do optimismo do bizarro Machete, o embaixador USA em Portugal anuncia que a base das Lajes, nos Açores, vai reduzir os efectivos de 650 para 165, alegando uma poupança de 30 milhões de euros/ano. E o desemprego causado que custos vai ter localmente?

lajes usaf lajes field

Está na hora de Portas entrar em acção, falar com os seus asiáticos players e vender a base por uma dúzia de vistos gold… ele consegue.

 

Zeinal Bava, o condecorado comendador agraciado por Cavaco Silva pelo seu supino mérito de gestor e excelentes serviços prestados à Pátria, esse exemplo por todos invejado e a seguir por todos os portugueses, esse génio financeiro, afinal e segundo o ex-administrador do BES, Morais Pires, não só sabia de tudo o que se estava a passar, conjuntamente com o outro genial Granadeiro (que avalizou a operação), como levou ao endividamento da PT para aplicar 897 milhões de euros na Rioforte e, mais grave ainda, num momento em que já era presidente executivo da OI. Esta operação sem precedentes levou a que a PT se endividasse para emprestar tal astronómico montante ao GES, originando tal descalabro económico que as suas acções já foram suspensas na Bolsa de Lisboa.

Cavaco – e quem o aconselha nesta matéria – deviam assumir a irresponsabilidade dos seus actos, fazerem um acto público de contrição, pedir desculpa a todos os outros agraciados pelo destrato da comenda e, fundamentalmente, pedirem desculpa aos portugueses pela inqualificável calinada…

 

(Fotos DR)