Arrumar o resto da trupe

por Paulo Neto | 2014.01.12 - 00:02

Em boa verdade, calem-se as bocas que muito propalam ser Portugal apenas exportador, em qualidade e quantidade, de jovens licenciados, mestres e doutorados. Afinal, nunca exportámos tantos, devendo ser até o maior exportador mundial… de ex-governantes.

Depois do “distraído” Victor Constâncio se ter ido refastelar no Banco Central Europeu (BCE), pelos bons serviços prestados à frente do Banco de Portugal – que ainda andamos a pagar nos casos BPN, BPP, etc., seguiu-se-lhe o inefável Arnaut para a Goldman Sachs, esse tenebroso grupo financeiro multinacional que aparece nos bastidores de todas as desgraças. Só um cérebro muito tortuoso – do tipo compadre Zacarias – poderia associar a venda dos CTT ao Brasil com esta nomeação, sabendo que a maior accionista após 5 de Dezembro é … adivinhou! a Goldman Sachs. E que o “pai” desta privatização foi… adivinhou!

Depois, aquele tipo Mr. Bean, alucinado e trágico de sua graça Gaspar, ex-ministro das Finanças, vai para o FMI, responsável de assuntos fiscais, apoiado pelo anjo Merkel, dizem…

Finalmente (em breve segue o Moedas) o nosso viseense-canadiano-pastel-de-nata, esse, o Álvaro, o ex da Economia, vai para a OCDE, dizem. Porque não se dá bem com o frio do Canadá nem com as despojadas instalações do campus universitário onde trabalhou…

A miss Swaps, por sua vez, parece só abrir a boca para dizer que está inocente e para gabar muito a troika, preparando-se para emigrar dentro, antecipa-se, de menos de 15 meses…

Porque é que estes indivíduos são tão apetecidos/recompensados por esses organismos mundiais? Pela sua competência profissional ou pela sua subserviência internacional? Estiveram naqueles lugares porquê? Para quê? Além da “bosta” feita que mais se lhes reconhece de obra em prol dos portugueses e de Portugal? Nada! Por isso mesmo foram despedidos, foram à vida…

E foram acolhidos. Por quem e porquê? Responda o leitor que é soberano e inteligente. Eu, pessoalmente, tenho a náusea a tolher-me os neurónios.

O pudor perdeu-se. O tempo do nojo encurtou-se. O faz-de-contas anulou-se. A dissimulação arrumou-se. Não há necessidade. O povo é plácido, brando e sereno.

Todos estes figurantes de 3ª têm o merecido prémio pela sua porfiada e profícua acção. A acção de empobrecer Portugal dando-o de pasto à rapacidade dos abutres das finanças mundiais.

E tirando Constâncio, do PS, o partido que mais contribuiu cm a sua sabedoria… foi o PSD.

E nós, portugueses, vítimas da sua voracidade, iremos esquecê-los nos próximos anos? Vamos esquecer o “patriarca” que, todo impado da sua paternidade sobre tanto órfão da desventura, já se recandidatou a mais um mandato de infortúnio, para acabar de rapar o fundo delido do tacho? E arrumar o resto da trupe?

Era o que mais faltava!