António Costa e Entronização de Confrades: duas notas

por Paulo Neto | 2014.11.09 - 00:32

 

 

Afinal quando apostei que na Mesa ao lado de António Costa, hoje em Viseu, na apresentação da sua moção Mobilizar Portugal, estariam Acácio Pinto, António Borges, Adelaide Modesto, José Junqueiro, Lúcia Silva e Miguel Ginestal, fiquei-me pelo score dos 50% uma vez que falhei nestes três últimos…

Mas… se não estavam na Mesa, figuravam na primeiríssima fila, no modelar exemplo de união e distantes das já cicatrizadas cisões.

Ademais, o discurso do presidente da Federação, o “segurista” António Borges, também não deixou margem para dúvidas quando declarou a António Costa o apoio inequívoco da Federação de Viseu do PS.

Toda a história com um happy-end me comove… snif!

 

Hoje decorreu na nobre vila de Penedono, capitaneada pelo autarca Carlos Esteves, o IVº Capítulo de Entronização de novos Confrades da Confraria da Castanha..

Foi uma cerimónia majestosamente afável e um convívio de fraterno quilate.

entroni

Mariana Machado e Aquilino Machado, netos de Aquilino Ribeiro e bisnetos do presidente da República Bernardino Machado foram entronizados como confrades honorários e de um total de oito, permito-me destacar a deputada do PSD Ester Vargas e a vice-presidente da autarquia local.

Todos foram inexcedíveis sob a batuta atentíssima do Mordomo-Mor Alberto Correia.

Formativa e sumarenta a Lição Confrádica proferida por Aquilino Machado, subordinada ao tema “O castanheiro na obra literária de Aquilino Ribeiro. Apontamento sobre a importância das representações literárias no contexto de uma estratégia territorial  de desenvolvimento sustentável.” 

Muitas confrarias presentes, de vários pontos do país e a grata surpresa de reencontrar Olga Cavaleiro, de quem fui colega no ISCE, nas prestigiadas funções de presidente da Confederação Portuguesa das Confrarias. Também gratificante a presença dos vereadores da Cultura das Câmaras de Sernancelhe e Moimenta da Beira, em representação dos respectivos presidentes ausentes no estrangeiro e do deputado do PSD que foi colaborador do Rua Direita, João Figueiredo, que muito prezo.

As boas-vindas foram dadas no Salão Nobre dos Paços do Concelho e a cerimónia de entronização decorreu na Igreja Matriz de São Pedro, seguida de um Terras do Demo de Honra e de um agradável almoço-convívio.

A genuinidade de todos, a dignidade da cerimónia e a Vila Medieval de Penedono concederam um superior brilho a este Capítulo.

Apenas nota negativa para São Pedro que, distraído, arremeteu o cortejo com rijas varas de soprada e fria chuva. Mas o traje em burel é tão quentinho…

Parabéns a todos os Confrades e um especial abraço ao Mordomo-Mor da Confraria.

 

(Fotos JA)