“Almeida Henriques figura menor…”

por Paulo Neto | 2014.01.05 - 01:08

…Assim se pronuncia Norberto Pires, um político que faz da Ciência modo de vida.

Acerca do ex SE adjunto da Economia, Norberto Pires vai mais longe e afirma que Almeida Henriques “não se pauta por padrões de exigência”; acusa-o de “trabalhar para os cabeçalhos de jornais”; do “fracasso total” que foi o seu (querido) Programa: o Revitalizar, etc.

… Mas fala para além disso, Norberto Pires, dos dinheiros mal gastos e do endividamento brutal de Portugal com os dinheiros do QREN.

O Rua Direita quis perceber porque não vivemos nós no Paraíso com os biliões de euros que o governante afirma terem entrado em Portugal, por suas mãos, de outros que o antecederam e lhe sucederam…

O resultado não foi animador.

Tudo isto e mais do que isto consta de uma longa entrevista feita ontem, de manhã, em Coimbra, ao ex-presidente da CCDRC e actual professor associado com agregação na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, Joaquim Norberto Cardoso Pires da Silva, nascido curiosamente a 6/6/66, com família oriunda de Silgueiros, Viseu.

Ouça-a na íntegra e formule os seus próprios juízos, estimado Leitor…

Entretanto, esta semana ainda, foram divulgados números acerca do nascimento de crianças, em Portugal.

Outro desânimo..

Nasceram menos de 80 mil crianças em 2013 o que dá a Portugal um dos mais baixos índices de natalidade do mundo. Ou seja, 1.3 filhos por mulher. Menos 8,5% que em 2012.

Qual futuro?

A crueza destes números, que são efeito, tem várias causas. As mais relevantes ninguém as ignora:

A precariedade da maioria dos jovens;

O desemprego jovem;

A violenta perda de poder de compra das famílias portuguesas;

A incerteza profissional;

A emigração da nossa juventude…

Afinal tantos biliões para quê? Onde estão eles?

Ah! Os ricos estão mais ricos. A banca está mais gorda. Os erros dos políticos-swaps e tantos outros pagam-se caro. E… etc.

Se aqui tivéssemos que apostar entre a verdade e a fantasia, Norberto Pires ganharia por 1 a 0!

É que as palavras, qualquer vendedor de banha da cobra se sabe usar delas; os factos, esses, não precisam de porta-voz.

São inquestionáveis!