Quando vale tudo…

por Alexandre Borges | 2017.05.17 - 18:46

É usual surgirem, de quando em vez, autarcas que anunciam investimentos mais ou menos avultados no seu concelho investimentos esses que têm normalmente o intuito de melhorarem a qualidade de vida das populações e, quando assim é, são apresentadas como bandeiras de um determinado executivo.

Em Nelas as coisas não aparentam ser muito diferentes mas, como já certamente reparou, estes anúncios aparecem com excessiva frequência e fazem-nos julgar que por aquelas bandas a gestão camarária é uma espécie de oásis. São milhões para ETARs ou os “milhares” de postos de trabalho criados, sempre com a intervenção do edil local.

Recentemente vimos o Ministro Pedro Marques a inaugurar uma empresa e a louvar a política de investimento e atração daquele Município.

Mas hoje veio à estampa por intermédio da vizinha Câmara Municipal do Carregal do Sal um e-mail de uma das empresas com a qual foram assinados protocolos de cooperação para investimento com a CM de Nelas, que desmente Borges da Silva e garante a Rogério Abrantes que a “mudança” para o vizinho concelho é apenas transitória e temporária. Na mesma missiva a CM de Carregal do Sal garante que tem um parecer da CCDR Centro que afirma não ter enquadramento legal os apoios à contratação ou a venda de terrenos abaixo do preço de mercado, artifícios usados por Borges da Silva para deslocalizar empresas até de concelhos vizinhos. Até de concelhos onde o poder está igualmente entregue ao Partido Socialista.

Já nos habituamos a ver alguns comportamentos reprováveis no edil nelense e até derrotas copiosas em sede judicial fruto de alguma teimosia que manifesta e que é alimentada, com cerejas e outras frutas, por quem apenas valoriza os que aparentam ter poder, deitando borda fora questões de “somenos” como a legalidade e até dos equilíbrios, sempre frágeis, intrapartidários.

O PS do Carregal do Sal, como outros, deve estar satisfeitíssimo com as lideranças distritais.

 

DS SMITH desmente categoricamente Borges da Silva. Em comunicação a Rogério Abrantes refere “não há atualmente criação de emprego líquido”

Natural de Canas de Senhorim. Licenciado em geologia pela UC. Virulentamente bombeiro. Gosta de discussões cordiais, de vaguear pelo mundo munido de auscultadores.

Pub