Almeida Henriques só tem uma solução: “malhar com os ossos no Tribunal”, os de Rogério Abrantes, claro…

por Paulo Neto | 2019.07.26 - 15:52

Perante o enxovalho de que foi alvo, António Almeida Henriques, acusado na praça pública de ser “mentiroso”, só tem uma alternativa, corajoso como é, e homem de palavra indignado e achincalhado

Enfrentar o presidente da Câmara Municipal do Carregal do Sal, Rogério Abrantes, também presidente da Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões e, parafraseando-o, fazê-lo “malhar com os ossos no Tribunal”, onde Rogério Abrantes terá que explicar esta calúnia, esta ofensa, esta difamação.

Ademais quando Rogério Abrantes afirma não ser “vaidoso”, será que está indirectamente a referir que Almeida Henriques o é? Não acreditamos.

Porém, muito mais grave e que nos deixou “estupefactos” foi a afirmação de Rogério Abrantes, conceituado e respeitado empresário com um excelente nome na praça, que transcrevemos:

“Aquelas pessoas que são vaidosas e que chegam ao ponto de ser mal-educadas, pensam que é por andarem nas primeiras páginas dos jornais que sobressaem. A minha vida foi sempre de empresário e eu felizmente olho para trás e para a minha vida de empresário com orgulho, talvez outras pessoas se olharem para a sua vida de empresário, se calhar não possam dizer a mesma coisa.”

Aqui e neste contexto de resposta, quase que ousamos pensar referir-se a António Almeida Henriques, mas por certo que Rogério Abrantes se dirigiria a outra pessoa, pois pelas empresas por onde passou, o autarca viseense deixou sempre os pergaminhos imaculados e nem precisamos de ir além da Gabiforma, como mero e modelar exemplo.

Almeida Henriques quer a todo o transe ser presidente da CIM VDL. Como os restantes 13 autarcas não lhe concederam o privilégio da confiança, “armou barraca” com o presidente de então, o autarca de Vila Nova de Paiva e presidente em funções, José Morgado. Perante o incidente, forçoso foi recurso à CCDR-C, que determinou ficarem em funções o autarca mais velho da comunidade, Rogério Abrantes, tendo como vices os dois mais novos, João Azevedo e Paulo Almeida.

Agora, Rogério Abrantes, na sua dignidade e com “fair-play“, põe o seu lugar à disposição, desafiando Almeida Henriques a sujeitar-se à votação dos seus pares.

Este, homem muito pugnativo, decerto não recusará o desafio e, finalmente, os outros 13 desfeiteados e desautorizados autarcas desta Comunidade, se unirão para e em uníssona sintonia cantar hossanas a Almeida Henriques e o elegerem seu presidente, por unanimidade, tenacidade, persistência, mérito, merecimento e brio.

Paulo Neto