“O João e o Cuco”, reacção do PSD ao assunto EN 229

Se algum atraso existe é da exclusiva responsabilidade do Governo por incumprimento do acordo celebrado em 2015; se algum atraso existe é consequência dos acordos da geringonça que reduziram o investimento púbico a praticamente nada nos últimos 4 anos; se algum atraso existe foi apenas falta de vontade política do Governo em não considerar este investimento como prioritário.

  • 18:04 | Quarta-feira, 22 de Julho de 2020
  • Ler em 2 minutos
Do PSD distrital, do PSD de Viseu e do PSD do Sátão, a Rua Direita recebeu o seguinte comunicado:

 

“O deputado, João Azevedo, uma vez mais, não conseguiu resistir à sua natureza socialista. É mais forte do que qualquer missão ou compromisso que assuma. Como tem sido seu apanágio, em tantas outras ocasiões, quando chega a hora de defender os interesses das nossas gentes e Região, nunca falha: defende sempre o Governo.

Foi o que aconteceu numa recente publicação nas redes sociais, em que, qual porta-voz do Governo, aparece a anunciar a conclusão do projeto da requalificação da EN229, entre Viseu e o Sátão, e, simultaneamente, a responsabilizar as autarquias pelo impasse, ao não assumirem a comparticipação no investimento. É falso! A estrada é nacional e as autarquias já se comprometeram com €1.200.000,00 (Viseu €1.000.000,00 – Sátão €200.000,00).

O deputado socialista deve andar equivocado. A EN229 é uma estrada nacional da responsabilidade da Administração Central. Se algum atraso existe é da exclusiva responsabilidade do Governo por incumprimento do acordo celebrado em 2015; se algum atraso existe é consequência dos acordos da geringonça que reduziram o investimento púbico a praticamente nada nos últimos 4 anos; se algum atraso existe foi apenas falta de vontade política do Governo em não considerar este investimento como prioritário.

Ficava bem ao deputado socialista, eleito pelo círculo eleitoral de Viseu, reclamar do Governo igualdade de tratamento em relação a outros concelhos e investimentos da responsabilidade da Administração Central. Como aconteceu na requalificação da linha de Cascais-Lisboa, onde foram aplicados 50M€ dos Fundos de Coesão, sem qualquer comparticipação das autarquias envolvidas. Se assim é, por que razão têm as autarquias de Viseu e Sátão comparticipar o investimento na EN229? Se assim é, por que foi tão rápido, o Sr. deputado a apontar o dedo às autarquias e não ao Governo que tarda em receber os autarcas em audiência? Não basta apregoar e reclamar coesão territorial, quando nos silenciamos perante tamanhas injustiças da administração central e acusamos autarcas que estoicamente buscam um desenvolvimento sustentável e equilibrado para os nossos territórios.
A pressa do deputado em mostrar serviço neste processo, só é comparável à esperteza do cuco. Infelizmente já o conhecemos de outras causas. Com atitudes destas ninguém se deixa encantar… não é por Mangualde ter praia que Viseu vai passar a ter mar.

No futuro, para não voltar a cometer os mesmos erros, sugerimos-lhe que faça uma revisitação dos processos. Que estude melhor os dossiers e dedique um pouco mais do seu tempo ao trabalho parlamentar e a defender os interesses das gentes e instituições da nossa Região.”

 

Gosto do artigo
Palavras-chave
Publicado por
Publicado em Última Hora
mersin escort porno porno izle sex hikayeleri maltepe escort pendik escort izmit escort