Onde estão os resultados dos fundos comunitários, na região Centro?

Há dias, numa reunião sobre estratégia e perante o lamento geral a propósito da falta de indústria na região, que todos atribuíam a condições de contexto e efeitos de falta de investimento, lembrei que a região era uma das que mais tinha recebido fundos comunitários, com decisões tomadas pela própria região e aprovadas por unanimidade […]

  • 13:26 | Sábado, 17 de Agosto de 2019
  • Ler em < 1

Há dias, numa reunião sobre estratégia e perante o lamento geral a propósito da falta de indústria na região, que todos atribuíam a condições de contexto e efeitos de falta de investimento, lembrei que a região era uma das que mais tinha recebido fundos comunitários, com decisões tomadas pela própria região e aprovadas por unanimidade por todos os “parceiros”. Isto é, não foi por falta de dinheiro nem capacidade de decidir localmente, pois as decisões sobre estratégia (ou falta dela) foram tomadas na região.

Hoje, o Expresso confirma. A região CENTRO é a 5ª região europeia que mais fundos comunitários recebeu desde 1989.

No entanto, na região as pessoas continuarão a queixar-se de Lisboa, do Governo, seja ele qual for, de tudo e mais alguma coisa, mas nunca de si, nunca das suas escolhas e nunca da sua incapacidade para tomar nas suas mãos o seu futuro.

O que faltou não foi dinheiro, mas sim inteligência e estratégia na sua utilização. Uma vez (2012) disse isso numa TEDx Talk e foi um escândalo. Fui alertado pela ministra, hoje grande líder partidária, e por deputados da região que, incomodados, me perguntavam se me “sentia confortável com o que tinha dito”…
Afinal, 7 anos depois, verifica-se, como sempre, que o que construímos é, no essencial, da nossa responsabilidade. Valeria a pena ter pensado antes. Mas como sempre, havia muito dinheiro para gastar e isso é que era prioritário.

Gosto do artigo
Publicado por
Publicado em Opinião