A cultura INCOMODA à Diretora Regional de Cultura do Centro

iretora Regional de Cultura do Centro: “Vim cá a Leiria porque, por incrível que pareça, não me pediram dinheiro. Como é possível?

  • 1:20 | Segunda-feira, 05 de Março de 2018
  • Ler em < 1

Diretora Regional de Cultura do Centro: “Vim cá a Leiria porque, por incrível que pareça, não me pediram dinheiro. Como é possível? Ainda por cima na área do teatro! Foi algo que me tocou bastante. É uma lição de como um grupo de teatro profissional, com três atores, que se dedica de corpo e alma ao seu trabalho, vive sem pedir dinheiro, não incomoda a administração central”.

Nem sei mais o que dizer desta senhora, da sua ignara arrogância, de quem a nomeou para Diretora Regional da Cultura, de um Estado que permite que a cultura seja assim tratada, da região centro que continua tão mal servida e de um povo que ouve estas coisas e encolhe os ombros como se não fosse consigo.

Apesar de ela me insultar, como cidadão, como contribuinte, como amante de cultura, como incorrigível otimista num futuro melhor, não vou responder da mesma forma, mas somente solicitar ao Governo que liberte esta senhora do incómodo da função que usurpa.

Estas declarações não são só um insulto. São vergonhosas. E uma tentativa “tosca”, porque nem percebe o que diz, de agradar a alguém recém-chegado que ela pensa que aprova este discurso insultuoso. Enfim, que tristeza.

Aqueles que tentam justificar investimento no interior, considerando as atividades culturais diferenciadoras e capazes de atrair pessoas e fazer parte de estratégias de povoamento, dinamização empresarial e económica, ficam a saber que não podem incomodar a senhora Diretora Regional da Cultura do Centro.

Tudo isto seria anedótico se não fosse triste e revelador de um Estado aprisionado por partidos e gente sem a menor condição de exercer as responsabilidades que tem.

Triste.

Gosto do artigo
Publicado por
Publicado em Opinião