O Chico dos Pedais, o Tónio da Tasca, a Bina, a Berta e o gordo Abreu

por Norberto Pires | 2019.07.01 - 13:36

– “Chefinho, chefinho”, grita esbaforido o secretário de Sua Exª o Presidente da Câmara lá da terra.

– “Que foi agora, Carlinhos?!”, pergunta com pesporrência Sua Exª, já farto dos repentes do seu secretário.

– “A Joana Marques Vidal acaba de dizer na rádio que o Estado, especialmente as autarquias, estão tomadas por redes de corrupção. Ó chefinho, isso é muito grave tendo em conta o que se passou com o Chico dos Pedais”, diz o assustado Carlinhos.

– “Oh! Que é que se passou com o cromo do Chico?”, desvaloriza o Sua Exa.

– “Chefinho, lembra-se do ajuste direto que fizemos, quer dizer que Sua Exª fez, porque eu nada tenho a ver com isso, nem me recordo de nada, ao Chico dos Pedais?”, grita o Carlinhos.

– “Não. Não me lembro de nada”, responde Sua Exª.

– “Ai, queres ver! Eu também não me recordo de nada. Mas ouvi dizer, na tasca do Tónio, que o Chico sofreu de uma escuta onde falava disso”, confidenciou o Carlinhos visivelmente assustado.

– “Sofreu de uma escuta? Mas que raio é isso?”, questionou Sua Exª.

– “O Chico, que não gosta nada de pinga ao fim da tarde, foi à tasca e, aparentemente, tinha muito dinheiro na carteira. Parece que tinha mais de 15 euros, imagine! O Tónio achou que era fruta a mais para o Chico e piscou o olho à Bina. Essa desavergonhada – dizem, porque eu não sei de nada – usou lá as suas técnicas demoníacas e puxou o Chico para a salinha reservada que não existe na tasca, eu pelo menos nunca lá fui. Adiante! Dando pinga ao Chico, foi-lhe puxando pela língua. O Tónio, que instalou um sistema avançado de funis de escuta na sala, foi ouvindo e apontando tudo o que o Chico dizia. Parece que gastou mais de 5 folhas de assento completas – grande desavergonhada a Bina”, dizia o Carlinhos já quase em surdina.

– “O Tónio e a Bina fizeram o quê?”, gritou Sua Exª, levantando-se da cadeira.

– “É como lhe digo. Deram pinga ao homem e não sei mais o quê, porque a Bina é uma desavergonhada como Sua Exa não sabe. Eu também não sei de nada, mas dizem por aí coisas. A verdade é que o Chico contou tudo e o Tónio escutou e assentou. O papel anda a circular pela aldeia.”, continuava o desanimado Carlinhos.

– “Mas contou o quê, homem?!”, perguntou Sua Exª.

– “Olhe, tudo! Que Sua Exª o contratou para transportar as pessoas da aldeia nos seus afazeres, usando em exclusivo as bicicletas do Chico. Diz que você lhe paga 15 euros por dia pelo serviço. Mas ainda disse mais, pois a Bina, gritando “ai o filho da mãe, a mim só me dá 5 euros, grande …”, quis saber a razão de tanta generosidade”, confidenciava, verdadeiramente constrangido, o Carlinhos.
Sua Exª abria e fechava a boca sem conseguir dizer nada.

“O Chico disse que foi ele que exigiu, pois a Berta da Contabilidade, antes de Sua Exª lhe dar o exclusivo dos serviços de contabilidade, tinha desabafado com a mulher do Chico”, atirou o Carlinhos.

– “Chame lá o Tónio, chame lá esse safardana. Vai ficar com o exclusivo dos buffets oficiais”, disse Sua Exª.
Bzzt! Bzzt!

– “Eheheheheh. Apanhei-vos. Vamos ver agora quem é que vai ter o exclusivo das… eheheheheh”, ria-se o gordo Abreu de auscultadores nos ouvidos e que escutava, ilegalmente, todas as conversas ocorridas no gabinete de Sua Exª.

Norberto Pires, inas beiras”

Professor Associado da Universidade de Coimbra foi Presidente do Conselho de Administração do Coimbra Inovação Parque e Membro do Conselho Nacional para a Ciência e Tecnologia. Possui Mestrado em Física Tecnológica e Doutoramento em Robótica e Automação pela Universidade de Coimbra. É o Editor do jornal "Robótica". Autor de cinco livros na área da robótica e automação tendo publicado mais de 150 artigos científicos e tecnológicos.

Pub