A escola que pede esmola

por Alexandra Azambuja | 2014.09.26 - 10:52

 

 

Em Leiria, a Escola Amarela onde anda a minha filha mais nova pede um “donativo” aos pais.

Não é obrigatório, é um valor pequeno – 5 euros por trimestre – mas pede. Ouvi dizer que não é a única.

Porque é que acontece isto? Porque as escolas não têm dinheiro suficiente para as suas despesas básicas.

Compreendo a atitude de quem pede. É mais ou menos como se cada um de nós tivesse de pedir esmola aos clientes – Olhe dê-me dinheiro para ir comprar esferográficas para poder atender o seu pedido –  é mais ou menos como ter de passar vergonhas todos os anos. E os professores não deviam passar por isto.

Compreendo menos bem a atitude de quem gere dinheiros públicos. Não tenhamos nem ilusões nem complacência: gerir dinheiros autárquicos é decidir. Tanto para este assunto, tanto para aquele. Se na nossa autarquia há dinheiro para fazer pontes mesmo antes das eleições, também deveria haver para pagar as despesas das escolas do 1º ciclo, ponto final.

Compreendo nada da atitude da maioria dos pais. Em reuniões de pais, nunca ouço uma voz reclamar deste estado de coisas. Ouço-me a mim própria a questionar porque são as coisas assim e sinto o olhar dos outros nas minhas costas, talvez acompanhado de pensamentos menos simpáticos do tipo – Mas o que é que esta quer??? – e volto sempre ainda mais sozinha e desanimada para casa.

Deixem-me que vos diga que isto cansa. Se nenhum dos pais acha estranho ter de pagar pela escola pública no 1º ciclo, a tal que é gratuita, quem sou eu para achar que dar esmolas à escola é inadmissível ?

Talvez que no país onde 50 000 se candidatam ao ensino superior e 150 000 à Casa dos Segredos não se possa esperar mais.

Talvez que na cidade onde se ergueu um estádio vazio que nos asfixia financeiramente durante 30 anos, as escolas não tenham importância nenhuma.

Talvez que num país onde o desemprego desanima quem estuda, estudar já não valha a pena.

Ou ser honesto. Ou querer fazer bem feito. Ou preocupar-se com os outros.

Talvez que já nada faça sentido. Mas queridos leitores e leirienses:

Não é normal ter de dar “donativos” a escolas  públicas.

Não é normal ter de pagar um estádio vazio que custou cerca de 90 milhões de euros.

Não é normal aceitar isto tudo de braços caídos.

Nem sempre foi assim.

Não tem sempre de ser assim.

Agora já é tempo de fazerem alguma coisa não?

Deixo-vos o email de quem decide quanto dinheiro público da autarquia vai para cada assunto em Leiria.

Usem-no.

Eu por mim, envio-lhe esta crónica.

raul.castro@cm-leiria.pt

 

cartoon de “Zé Oliveira”