SRU é um nome giro…

por Paulo Neto | 2014.12.22 - 21:18

 

 

Recebemos a newsletter da Sociedade de Reabilitação Urbana de Viseu que muito agradecemos. Viseu Novo, dizem. E nós acreditamos.

No índice, pode ler-se:

Viseu veste-se de luz

Programação de Natal reforçada com eventos excepcionais

Entrada em 2015 promete surpresa de mil cores

2500 provaram “Os Vinhos de Inverno” em Viseu

1º Orçamento Participativo de Viseu em votação até ao final do ano

Montepio Geral apoia “Viseu Natal Sonho Tradicional”

 

E ficámos a saber coisas bonitas e entusiasmantes sobre a nossa cidade. Por exemplo, que haverá 275 mil luzes pelas ruas fora. Por sobre as passadeiras vermelhas, muito brilho e glamour. Até poderemos desligar as de casa e sempre minoramos a cara factura da EDP.

Que haverá festa durante 35 dias para valorização da “dimensão solidária deste destino irresistível”. Viseu é uma Cidade Festiva e já ninguém o ignora. É um bom rótulo, como por exemplo o do “Porto, Cidade Laboriosa”.

Que a Passagem de Ano, no Adro da Sé terá um espectáculo especial com 360 jactos de água e 13 projectores de última geração. Pelos vistos, acabaram os foguetes… Muita água vai meter. Perdão, jorrar…

Que os “Vinhos de Inverno” contaram com 18 horas de provas vínicas. E que, no dizer do nosso autarca, “este palacete único da cidade é o espaço natural das realizações indoor em torno dos nossos vinhos.” Referindo-se ao Paço Episcopal, depois Presídio do Fontelo, depois Solar do Vinho do Dão. Bonita festa. Belos vinhos. Boa comida. Não sei se já estiveram presentes os Jovens Confrades dos 7 aos 11 anos. Se não, decerto estarão na próxima…

Que o 1º Orçamento Participativo “Faz Avançar Viseu”. Claro. Mas alguém dúvida? O comboio é que não avança

Finalmente, que o Montepio Geral apoia este “Viseu Natal Sonho Tradicional” com 75 mil euros. E aqui, na perspectiva solidária desta instituição bancária até nos esquecemos dos “bancos maus”, dos “banqueiros vigaristas”, da “rapacidade e usura”. 75 mil euros é um solidário apoio para festas. O Montepio — pio de piedoso — não iria deixar seus créditos por mãos alheias. Estamos certos desta pura filantropia e exortamos daqui as outras instituições bancárias a seguir tão magnânimo exemplo.