Pré-deputados desmotivados

por Paulo Neto | 2019.09.04 - 08:51

Ao que se vê, mas principalmente a quanto permanece invisível para o comum dos eleitores, os candidatos a deputados pelo círculo eleitoral do distrito de Viseu, sem chama nem brilho, arrastando-se por aí, são a imagem viva do total descoroçoamento.

Cinjamo-nos, por estes instantes, aos três partidos (e seus rostos) com representação parlamentar no já passado, que não não talvez no próximo futuro:

PS — PSD — CDS-PP

O comendador-administrador das águas-presidente da federação, António Borges, num longo e entediante “parle-à-pied” de encomiástica sagração (de que se sagrará este ungido?), conseguiu a façanha de juntar meia dúzia de fiéis, parecendo-se com um triste Cristo mais os 12 apóstolos (Judas incluído?) na Última Ceia, ali para os lados da muralha afonsina.

O PSD, implodido, lá vai fazendo umas festitas com pouco Ruas e mais Alves, por vezes espartilhado entre Almeida Henriques e o neófito Sobrado (que fazem lá eles?), quase impávidos de constrangimento na penúria da derrocada.

O CDS-PP e o seu líder solitário Hélder Amaral, num secretismo trágico, obnubilam-se por detrás do cerrar da cortina, que já parece ser em crepe cinza…

São estes os futuros representantes nacionais na Assembleia da República do distrito de Viseu? Ou o rosto de quem os encarna?

Valha-lhes e valha-nos S. Teotónio e S. Mateus…

Se eles já parece terem perdido a fé e o “élan”, como conseguiremos nós achar a devoção e ânimo para neles votar?

Paulo Neto

(Fotos DR)