Mais 3 empréstimos a contrair à banca pela autarquia viseense

Ou seja, 7 anos e meio depois de ter tomado posse, Almeida Henriques, gastos mais de 600 milhões de euros sem obra que se visse, vem agora, uma vez mais, endividar-se à banca para, a 7 meses de eleições, conseguir mostrar alguma coisinha que se veja.

  • 9:02 | Quarta-feira, 24 de Fevereiro de 2021
  • Ler em 2 minutos

José Mota Faria acaba de tornar pública uma convocatória da Assembleia Municipal a que preside para uma sessão ordinária daquele órgão, a realizar no dia 26 de Fevereiro do corrente.

Na Ordem de Trabalhos pode ler-se:

Ponto 5 – Apreciação e votação da proposta de contratação de empréstimo para o financiamento da contrapartida nacional da operação Portugal 2020 (…) Revitalização do Mercado 2 de Maio.
Ponto 6 – Apreciação e votação da proposta de contratação de empréstimo para o financiamento da contrapartida nacional da operação Portugal 2020 (…) Unidade de Saúde Familiar “Casa das Bocas”.
Ponto 7 – Apreciação e votação da proposta de contratação de empréstimo para o financiamento da contrapartida nacional da operação Portugal 2020 (…) Centro de Operações para a mobilidade Viseu.

Ou seja, 7 anos e meio depois de ter tomado posse, Almeida Henriques, gastos mais de 600 milhões de euros sem obra que se visse, vem agora, uma vez mais, endividar-se à banca para, a 7 meses de eleições, conseguir mostrar alguma coisinha que se veja.


Tanto mais estranho quanto o seu antecessor Fernando Ruas deixou o município com desafogo financeiro, o qual, após ter sido “anulado”, tem obrigado recorrentemente ao endividamento presente e futuro à banca, empréstimos estes que comprometerão e limitarão os autarcas vindouros na sua acção durante mais de duas décadas.

Isto e não obstante a venda, entre outras, de espaços públicos de Viseu a um grupo espanhol, para e por várias décadas serem os cobradores aos utentes do estacionamento pago. Este mero exemplo serve para percebermos o que se aliena aos privados (tão apreciados), para penalização dos munícipes viseenses, a troco de uns euros para a procissão sair do adro.

José Mota Faria vai levar a apreciação e votação. Nada de novo. A apreciação, por mais que os deputados da oposição critiquem estas propostas, a nada leva além da política de facto consumado, uma espécie de faz de conta para cumprir as normas. Quanto à votação, o costume, a maioria do PSD vota com o “patrão”, tão culpada sendo do endividamento da Câmara quanto o executivo que o propõe.

Gosto do artigo
Palavras-chave
Publicado por
Publicado em Editorial

Office Lizenz Kaufen Windows 10 pro lizenz kaufen Office 2019 Lizenz Office 365 lizenz kaufen Windows 10 Home lizenz kaufen Office 2016 lizenz kaufen office lisans satın al office 2019 satın al follower kaufen instagram follower kaufen porno