É bom ver bulir o interior…

por Paulo Neto | 2016.09.17 - 11:41

 

 

Ontem tive oportunidade de estar na abertura da Expodemo, em Moimenta da Beira. Um grande certame para divulgação dos produtos da região, nomeadamente, a maçã, o granito, o vinho espumante…

José Eduardo Ferreira, na presença do secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Amândio Torres, em representação do ministro Capoula Santos, falou da realidade económica do concelho e da necessidade premente de se alterarem situações asfixiantes para os agricultores e empresários locais, como a imperiosidade do regadio, a necessidade da clarificação/implementação dos programas comunitários, das exportações para a vizinha Espanha, um mercado de milhões capaz de transcender o ónus da interioridade, deixando bem vincada a exigência de medidas urgentes para o sector.

Amândio Torres foi parco em explanações e avaro em promessas, rematando apenas, depois de uma série de lugares comuns de discurso pré-feito, que “o dossier do regadio estava em cima da mesa para estudo”. Já não foi mau. Espera-se que seja um bom estudante…

 

Hoje, Sernancelhe divulga, uma vez mais e na porfia do seu persistente agir, o seu ex-libris Aquilino Ribeiro. Fá-lo emparceirando com a mais antiga editora do mundo, a Bertrand, reeditando comummente o livro “Cinco Réis de Gente”, publicado em 1948 e que retrata, de ficcionada forma autobiográfica, os dez primeiros anos de vida do Escritor – aqui Amadeu Magalhães – no Carregal, onde nasceu, de 1885 a 1895.

Ver aqui:http://www.tsf.pt/cultura/interior/cinco-reis-de-gente-de-aquilino-ribeiro-volta-as-livrarias-5393942.html

Esta apresentação será feita por Eduardo Boavida, da Bertrand, Aquilino Machado, neto do Escritor e Jorge Coelho que escreveu a nota introdutória à obra.

O que há de comum entre estes dois díspares eventos?

A dinâmica implementada pelos respectivos autarcas numa defesa constante, generosa e valerosa dos seus territórios, sem nunca desistirem perante as adversidades, não baixando os braços perante as inúmeras dificuldades.

José Eduardo Ferreira e Carlos Silva Santiago estão de parabéns, pois o seu agir, a sua atitude é aquela que o povo que os elegeu, deles espera, com o poder que neles delegou.

Assim fossem todos!