O Menino e S. Cristóvão

por Alberto Correia | 2014.04.05 - 11:08

Ao ver esta imagem lembrei-me da maravilhosa saga de S. Cristóvão que a Legenda Áurea vem espalhando desde o século XIII. Lembrei-me do menino, na margem do rio, requerendo passagem e do bom do gigante, joelhos em terra e o menino que sentou às cavalitas no seu ombro e o menino que requer do gigante que o leve mais longe, a casa de sua mãe, não sei bem o que o menino pediu, diz a lenda ou o Santo contou que o menino era pesado como a esfera do mundo que o menino levava, em pequenino, em sua mão.

Na imagem que se mostra é o menino quem carrega aos ombros a figura do gigante. Cristóvão, assim se me afigurou poder chamar-lhe, à raiz pesada que o menino leva para o lume de Inverno da lareira de sua mãe.

Cristóvão envelhecera, haveria agora barcas no rio e quando o menino passou, não passava nesse tempo já ninguém, pediu ao menino que o levasse à terra de seus pais onde queria ir morrer. E o menino carregou o bom do velho que lhe contou a história antiga de um menino pesado que levara. Nem ele se lembrava de quantos dias caminhou.

Não sabemos quantos dias a viagem do menino demorou.

– Mais longe!… Mais longe!… As palavras do velho eram como as palavras antigas do menino!…

Um dia, talvez à tarde, o menino deu conta que chegara à porta da casa de sua mãe.

Cristóvão desceu, devagarinho, dos ombros cansados do menino.

(Textos ilustrativos de um antigo viver rural nas margens de Viseu ilustrados com imagens de Arquivo de Foto Germano)