Túlio Pereira

A vitória de Túlio Pereira nos cem quilómetros dos arredores de Lisboa foi «tudo quanto há de mais normal e justo», num atleta de valor e fogoso.

  • 22:13 | Quinta-feira, 21 de Maio de 2020
  • Ler em 2 minutos

A vitória de Túlio Pereira nos cem quilómetros dos arredores de Lisboa foi «tudo quanto há de mais normal e justo», num atleta de valor e fogoso. Isolou-se a meio da prova. Esperem. Afinal, o corredor-locomotiva de que fala o jornalista é outro, Joaquim Fernandes, que, em 1937, procedeu do mesmo modo. O título vale para os dois. Ao lançar uma fuga à moda antiga, Túlio Pereira impôs um ritmo que os adversários tentaram acompanhar e do qual, um a um, abdicaram. Nessa Primavera de 1944, o atleta do Sangalhos Desporto Clube «forçou toda a gente a vir em sua perseguição e de tal maneira o fez – quanto mais o perseguiam mais ele fugia – que, quando o grupo “caçador” renunciou à luta, renunciou porque já não podia mais…» O vento, o «calor de trovoada» e o esforço realizado entre a Ericeira e as proximidades de Loures abalaram os adversários sem o fazer tombar a ele. «Quando cederam, cederam de vez.»

Gil Moreira, o narrador desta corrida, avalia a prestação nos seguintes termos: «Pode, portanto, considerar-se normal – e merecida, até – a vitória de Túlio Pereira, que no domingo ganhou a sua primeira corrida de independentes. Quer dizer: o que ele não pôde fazer em 1942 (depois de uma fuga também audaciosa, foi alcançado perto de Loures) fê-lo no domingo – e, por sinal, com certo brilhantismo.» Os adversários chegaram à meta «mais fatigados do que o normal em competições desta quilometragem», que na verdade, por causa de um erro de percurso, se cifrou nos 105 quilómetros.

Túlio Pereira venceu com 3 h. 10 m. 15 s. João Lourenço, do Sporting, foi segundo, Rebelo, da Iluminante, terceiro, e José Martins, também do Sangalhos, em quarto, todos com 3 h. 12 m. 52 s. Noé, o outro atleta do Sangalhos, chegou em décimo. Se houvesse classificação por equipas, a vitória teria cabido ao Sangalhos, em igualdade pontual com o Sporting.

Gosto do artigo
Palavras-chave
Publicado por
Publicado em Cultura